O QUE ESCUTAMOS, NOS TRANSFORMA

This entry is part of 1 in the series Seminaristas

SEMINARISTAS

images (5)

Lendo o Evangelho segundo Mateus notei que enquanto o Mestre ensinava, seus discípulos distraídos com problemas cotidianos ouviram-no, porém não compreenderem a profundidade de suas Palavras. Caro amigo leitor, tu escuta o que Jesus nos ensina, ou apenas o ouve como alguém que ouve uma história e nada aprende?

Em uma conversa entre Jesus e seus discípulos referindo-se a falsas doutrinas. O Mestre ensinava: “Estejam atentos e tenham cuidado com o fermento dos fariseus e dos saduceus”. (Ev. Mateus 16, 6 Bíblia Sagrada)

Normalmente converso com pessoas que estão vivendo conforme o mundo. Elas me contam sobre suas ideologias; filosofias de vida que lhes norteiam o viver, levando-as a terem plena convicção de estarem no rumo certo, mesmo seguindo um estilo de vida que, de longe lembra o caminho a ser seguido por um cristão.

E como são convincentes as palavras do inimigo…

Por isso quem vive segundo o mundo, não está disposto a seguir o caminho que leva para Jesus Cristo, isto porque precisariam mudar alguns de seus maus hábitos que estão cravados em suas rotinas. Porém, o que mais assusta é quando cristãos em plena comunhão com Jesus, dão ouvido a profecias de desviados; preferem seguir o que a sociedade impõem como politicamente correto.

Francamente!

Com certeza desconhecem a Palavra de Deus, pois seus ensinamentos não nos deixam dúvida. Tudo bem que, alguém que não tem acesso à Bíblia se deixe levar por charlatões, vigaristas e enganadores, é compreensível, pois esses não tem conhecimento algum sobre onde buscarem respostas para suas dúvidas, mas um cristão! Que semanalmente vai à Igreja, não ter o bom hábito de ler os ensinamentos de Deus…

Ouvindo uma música dia destes, (de uma banda já extinta dos anos 90) percebi como ela era bem sugestiva. Refleti muito sobre o que a letra desta música falava aos ouvintes. Pensei:

– “Quantos se perderam e ainda estão perdidos por músicas como esta”?

“Quantos erros cometi por seguir sugestões contidas em músicas, livros, filmes ou conversas com amigos”?

Daí a grande importância de lermos bons livros, ouvirmos boas músicas, olharmos bons filmes, termos conversas saudáveis com nossos familiares, amigos e amigas. Porém antes de encucarmos qualquer ideia transmitida, seja ela por qualquer fonte, temos o dever de passá-la pelo crivo bíblico.

Conversarmos com aqueles que amamos de forma harmônica, sobre assuntos que os levam ao estado de espírito confortável, que nos tornem próximos destes e, nos mantenham longe de companhias erradas.

Do contrário, se tivemos opiniões divergentes a dos que convivem conosco e as impormos, teremos muita chance de acabar nos afastando de quem nos ama, e seguindo opiniões erradas, que nos levarão ainda mais ao afastamento do convívio da família, de amigos, apenas para evitarmos aquele estado de conflito diário que nos aborrece.

Esse é o princípio do erro, da queda.

Não raramente vemos em conflitos familiares a causa de muitas vidas perdidas no mundo, de uma vivência frustrada, sem sonhos, nem projetos saudáveis, a causa de traições e separações. Cuidado meus amigos! Cuidado com o que escutam nos corredores desta vida.

Por isto Jesus alertou sobre o fermento dos fariseus o que não foi compreendido por eles até que o próprio Jesus lhes esclarece.

Como não compreendeis que não vos falei a respeito de pães? E sim: acautelai-vos do fermento dos fariseus e dos saduceus. Então, entenderam que não lhes dissera que se acautelassem do fermento de pães, mas da doutrina dos fariseus e dos saduceus. (Ev. Mateus 16, 11-12 Bíblia Sagrada)

A maioria das pessoas não percebe, mas toda mudança cultural ao longo do tempo se transforma em doutrina (conjunto de princípios) que as guia em seu modo de viver.

Entretanto a bíblia sagrada nos apresenta princípios instituídos por Deus, para vivermos bem, para nos relacionarmos em sociedade, com autoridades, com a família, mas principalmente para nos relacionarmos com Ele, Deus!

Por este motivo o que escutamos pode transformar nossas vidas.

Você tem ouvido… Mas, o que tem escutado?

Nem todos obedecem ao evangelho; pois Isaías diz: Senhor, quem creu na nossa pregação? De sorte que a fé é pelo ouvir, e o ouvir pela Palavra de Deus. Mas digo: Porventura, não ouviram? (Romanos 10. 16-18 Bíblia Sagrada)

A fé surge pelo ouvir, mas não é o ouvir qualquer coisa, ainda que escutar qualquer coisa pode gerar fé (crença) no que se escutou; é o ouvir da Palavra de Deus. Você tem ouvido, “escutado”, a Palavra de Deus, ou tem ouvido coisa qualquer, ou, alguma coisa que se parece com a Palavra. Cuidado! A serpente se utilizou da voz de Deus para enganar Eva.

Muitos ouvem a Palavra de Deus mas não escutam, não obedecem…

Em seu caminho o salmista Asafe correu grande risco por ter escutado a voz do mundo, tal voz chamou sua atenção para a vida do ímpio e diante do que viu, sentiu, escutou ele declara.

Todavia, estou de contínuo contigo; tu me seguraste pela mão direita. Guiar-me-ás com o teu conselho e, depois, me receberás em glória. A quem tenho eu no céu senão a ti? E na terra não há quem eu deseje além de ti. A minha carne e o meu coração desfalecem; mas Deus é a fortaleza do meu coração e a minha porção para sempre.(Salmo 73, 23-26 Bíblia Sagrada)

Em sua Palavra o Senhor Jesus tem o conselho certo para tua vida, permita que Ele transforme o mundo a sua volta, ouça a voz do Senhor.

Jesus dizia, pois, aos judeus que criam nele: Se vós permanecerdes na minha palavra, (ensinamento) verdadeiramente, sereis meus discípulos e conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará. (João 8. 31-32 Bíblia Sagrada)

Creia nEle, e o mais, tudo Ele fará…

Tomaz Henrique

Seminário Teológico/Gilgal – IBCB-SL

 

QUAL SEU LUGAR NA IGREJA

This entry is part 3 of 4 in the series Mensagens

images

As abelhas possuem uma das mais bem desenvolvidas estruturas sociais no reino animal. No centro da colmeia, que normalmente abriga cerca de 80 mil abelhas, está a rainha. Sem ela, a colmeia não tem futuro. Mas as outras jamais ficam paradas olhando sua rainha. Cada abelha tem uma função específica a cumprir.

As abelhas forrafeadoras enfrentam os perigos do mundo externo para buscar comida. As sentinelas protegem a entrada da colmeia contra os invasores. As responsáveis pelo “serviço funerário” retiram da colmeia as abelhas que morrem. As coletoras de água retornam molhadas para manter a umidade. As rebocadoras fabricam um tipo de cimento para reparos na colmeia. E as ventiladoras se colocam na entrada, abanando o cheiro da colmeia para fora, a fim de indicar a localização da colônia as abelhas desorientadas e perdidas. As abelhas escoteiras mantêm a colmeia alerta quanto as oportunidades e perigos do mundo exterior. A variedade e especialização das abelhas-operárias parecem intermináveis.

No reino animal, ainda, as formigas têm um sistema de organização social semelhante. Cada tipo de formiga tem uma função especial no formigueiro, e tudo funciona da melhor forma possível, numa sincronia de fazer inveja aos melhores lideres e administradores. Tanto que o sábio Salomão aconselhou os preguiçosos a mirarem o seu exemplo: “Vai ter com a formiga, ó preguiçoso, considera os seus caminhos e sê sábio”(Pv 6.6).

Deus nos legou esses exemplos marcantes no reino animal acerca do que significa estar no lugar certo e na função certa, dos quais podemos tirar preciosas lições. Guardadas as devidas proporções, no reino de Deus, o Senhor concedeu dons e talentos especiais a todos na sua Igreja, cada um individualmente conforme lhe aprouve. Ninguém foi chamado para ficar simplesmente “esquentando o banco”.

A diferença essencial entre o que ocorre nos grupos sociais de abelhas e formigas em comparação com a Igreja, o corpo de Cristo, é que tais animais fazem tudo por instinto, mas na Igreja cada membro tem de aprender e desenvolver a sua função. Está tudo no “DNA corporativo” da Igreja, cada membro do corpo tem essa “mensagem” interior gravada em seu ser, mas precisa descobrir e aprender como utilizar seus dons e talentos.

Cada crente (do aparentemente menor ao supostamente maior) pode e deve fazer alguma coisa, pois no corpo de Cristo cada membro tem uma função definida, cuja operacionalidade é essencial ao seu bom funcionamento. Cada membro, igualmente, dependente dos outros membros. (1Co 12. 12-27)

Mas há os que parecem estar na posição errada, para a qual não foram preparados, como olhos lutando desesperadamente para desempenharem as funções do ouvido. Ou se preferir, trocando os pé pelas mãos.

Há também aqueles que, por falta de oportunidade, não desenvolvem seus talentos. E há outros que desenvolvem talentos inúteis para a Igreja: em vez de pregarem, fazem mexericos; em vez de consolarem, machucam; em vez de orarem, murmuram.

Encontrar a pessoa certa para a posição certa é um dos maiores desafios da Igreja, principalmente quando a vemos como um organismo, com cada membro ou órgão desempenhando sua função de acordo com seu talento específico.

O preço é alto e o desafio é de cada um. Quem é suficiente para essas coisas?

Afinal, você sabe qual seu lugar na Igreja?!

Samuel C âmara – Pastor da Assembleia de Deus Belém/PA

O Carpinteiro

This entry is part 2 of 7 in the series Palavra do Pastor - Márcio R Silveira

04

Um velho carpinteiro estava para se aposentar. Ele contou a seu chefe os seus planos de largar o serviço de carpintaria e de construção de casas para viver uma vida mais calma com sua família. Claro que ele sentiria falta do pagamento mensal, mas ele necessitava da aposentadoria. O dono da empresa sentiu em saber que perderia um de seus melhores empregados e pediu a ele que construísse uma última casa como favor especial. O carpinteiro consentiu, mas com o tempo, era fácil ver que seus pensamentos e seu coração não estavam no trabalho. Ele não se empenhou no serviço e se utilizou de mão de obra e matérias-primas de qualidade inferior. Foi uma maneira lamentável de encerrar sua carreira. Quando o carpinteiro terminou seu trabalho, o construtor veio inspecionar a casa e entregou a chave da porta ao carpinteiro, dizendo:“Esta é sua casa, meu presente a você”.

Que choque! Que vergonha! Se ele soubesse que estava construindo sua própria casa, teria feito completamente diferente, não teria sido tão relaxado. Agora ele teria de morar numa casa feita de qualquer maneira.

Assim acontece conosco. Nós construímos nossas vidas de maneira distraída, reagindo mais que agindo, desejando colocar menos do que o melhor. Nos assuntos importantes nós não empenhamos nosso melhor esforço. Então, em choque, nós olhamos para a situação que criamos e vemos que estamos morando na casa que construímos. Pense sobre sua casa…

Cada dia você martela um prego novo, coloca uma armação ou levanta uma parede. Construa sabiamente. É a vida que você construirá. Mesmo que você tenha somente mais um dia de vida, este dia merece ser vivido graciosamente e com dignidade. Sua vida de hoje é o resultado de suas atitudes e escolhas feitas no passado. Sua vida de manhã será o resultado de suas atitudes e escolhas  hoje.

Querido! Jesus está voltando, o que estamos fazendo e como estamos fazendo a obra do Senhor?

Relaxadamente! “Ai daquele que faz a obra do Senhor relaxadamente…” (Jeremias 48. 10a Bíblia Sagrada)

É tempo de nos esforçarmos fazendo o melhor para o Senhor, pois tudo, tudo quanto te vier à mão para fazer, faze-o conforme as tuas forças, “Deus te dará poder”, porque na sepultura, para onde tu vais, não há obra, nem indústria, nem ciência, nem sabedoria alguma. (Eclesiastes 9.10 Bíblia Sagrada)

 

                                                                                 Deus te abençoe.

                                                                                 Márcio Silveira

                                                                          Pr. Presidente IBCB-SL