TU ME AMAS?

This entry is part 8 of 9 in the series Mensagem I

images (4)

As exigências da vida moderna ocupam cada vez mais espaço na vida do ser humano.   O “corre-corre” diário e as preocupações diante dos dilemas vivenciados nas grandes metrópoles produzem na mente humana uma dispersão em relação a Deus.   O comprometimento humano está cada vez mais voltado para suas necessidades, a estabilidade, a satisfação, um alicerce que lhe possibilite gozar de uma velhice tranquila.

Esta realidade é tão latente em nossos dias que mesmo em meio aos Cristãos é possível verificar pessoas totalmente comprometidas com as necessidades da vida, tornando este o motivo pelo qual buscam a Deus.

Está implícito na natureza do ser humano o desejo de obter êxito naquilo que faz alcançando com isto um resultado feliz, favorável segundo o esperado, o sucesso diante do que se busca.   Uma vez nascido de novo, o desejo de todo Cristão é fazer a vontade de Deus, ter sucesso em sua vida espiritual, congregacional, ministerial, no entanto na dinâmica de Deus o sucesso não depende do que se faz, nem de quem faz, ou ainda de como se faz; na dinâmica divina:

O GRAU DE COMPROMETIMENTO DETERMINA O SUCESSO.

Depois de terem comido, perguntou Jesus a Simão Pedro: Simão, filho de João, amas-me mais do que estes outros? Ele respondeu: Sim, Senhor, tu sabes que te amo. Ele lhe disse: Apascenta os meus cordeiros. Tornou a perguntar-lhe pela segunda vez: Simão, filho de João, tu me amas? Ele lhe respondeu: Sim, Senhor, tu sabes que te amo. Disse-lhe Jesus: Pastoreia as minhas ovelhas. Pela terceira vez Jesus lhe perguntou: Simão, filho de João, tu me amas? Pedro entristeceu-se por ele lhe ter dito, pela terceira vez: Tu me amas? E respondeu-lhe: Senhor, tu sabes todas as coisas, tu sabes que eu te amo. Jesus lhe disse: Apascenta as minhas ovelhas. (Evang. João 21. 15-17 RA Ilumina Gold 2009).

Jesus questiona Pedro perguntando se ele o amava, por três vezes Pedro responde que sim, por três vezes Jesus chama Pedro a um compromisso.   Percebe-se claramente que a intenção de Jesus era trazer Pedro a um comprometimento com ele, baseado não apenas no que Pedro vivenciou ao seu lado, mas no mais sublime sentimento conhecido: o amor.

A bíblia esta repleta de personagens que foram usados por Deus de forma gloriosa, hoje não é diferente, muitas pessoas tem o desejo de servirem a Deus poderosamente, no entanto o fator que determina a forma como Deus irá usar a vida de alguém, é na verdade o quanto esta pessoa esta disposta a se comprometer com Ele.

Por que Noé construiu a arca, (o que certamente foi considerada uma atitude de louco em seu tempo) suportando as afrontas de um povo cheio de maldade em seu coração?   Porque andava com Deus; Porque se comprometeu em fazer tudo que lhe ordenou o Senhor. (Gênesis 6. 9 – 7. 5)

Por que Abraão demonstrou coragem para sacrificar o filho há quem muito amava?   Porque estava comprometido com Deus a ponto de obedecer a sua voz, independente de sua própria vontade. (Gênesis 22. 15-18)

O Espírito de Deus está à procura de homens e mulheres que por amor tenham o desejo de comprometer-se com Ele.   Estar comprometido significa tomar para si, por livre e espontânea vontade um compromisso, por se em condição de obrigação, que só pode ser contraída quando há desejo mutuo entre duas pessoas, decidas a partir de então a responsabilizar-se sobre algo; ou ainda, alguém que decide por si só comprometer-se com alguma coisa, ou com alguém.

Com base nesta verdade entendemos que as promessas de Deus se concretizam por meio do comprometimento expresso por cada individuo em sua presença.

Por que Deus escolheu Davi para ser rei?   A bíblia mostra que a escolha divina se deu pelo coração.

Porém o Senhor disse a Samuel: Não atentes para a sua aparência, nem para a altura da sua estatura, porque o tenho rejeitado; porque o Senhor não vê como vê o homem. Pois o homem vê o que está diante dos olhos, porém o Senhor olha para o coração. (1Samuel 16. 7 RC Ilumina Gold 2009)

Mas, o que Deus viu no coração de Davi!?

Veja o que diz Paulo em seu discurso realizado em Antioquia da Písidia descrito no livro de Atos dos Apóstolos.

E, quando este foi retirado, lhes levantou como rei a Davi, ao qual também deu testemunho e disse: Achei a Davi, filho de Jessé, varão conforme o meu coração, que executará toda a minha vontade. (Atos 13. 22 RC Ilumina Gold 2009)

Um homem que execute toda a minha vontade, um homem disposto a se comprometer foi o que Deus viu.   Deus não está à procura de ministros para sua obra; Deus procura filhos que por amor se comprometam em executar sua vontade para que sua Palavra se cumpra.

O GRAU DE COMPROMETIMENTO DETERMINARÁ O SUCESSO.

Com o que você está comprometido?

Com quem você está comprometido?

Uns se comprometem com o desejo de serem curados, outros com bens materiais, com status social, com pessoas, com família, com seus próprios desejos.   Existem ainda aqueles que se comprometem com lideres, com doutrina, com seu ministério, com a denominação, com as tarefas que executam na Igreja.

Mas! Quantos estão realmente comprometidos com Jesus?

A descrição da vida de Pedro segundo os evangelhos é considerada mais completa do que a de qualquer outro apóstolo, Pedro se tornou discípulo sendo logo após o primeiro a ser chamado por Jesus na qualidade de apóstolo.   Ele tinha uma personalidade forte, seria em nossos dias considerado um “sanguíneo-colérico” e foi justamente devido a seu caráter que teve grandes experiências sobrenaturais com Jesus.   Fazia parte dos que estavam mais próximos a Jesus, e por isto viu a ressurreição de uma jovem (Mc 5.37; Lc 8.51); a transfiguração (Mt 17. 1-2); andou sobre as águas (Mt 14.28);  recebeu revelação sobre quem era Jesus (Mt 16. 16); teve coragem de pedir explicação sobre uma parábola (Mt 15. 15); questionou Jesus quanto ao que eles receberiam (Mt 19.27); foi enviado junto com os outros doze a pregar o evangelho do Reino de Deus; estava entre os setenta que também foram enviados a anunciar as boas novas.   No entanto também revelou fraquezas, tais como gostar da multidão deixando-se levar pela carnalidade ( Mt 16. 22-23); não entendendo o que se passava agiu de forma natural (Jo 18. 10-11); Pedro praguejou, jurou, negou ter conhecido Jesus (Mt 26. 69-75. RA)

Certamente Pedro teve grandes experiências com Jesus, no entanto sua motivação ainda era natural, mesmo tendo ele recebido revelação sobre o Cristo de Deus, veja o que Jesus diz a Pedro:

Simão, Simão, eis que Satanás vos reclamou para vos peneirar como trigo! Eu, porém, roguei por ti, para que a tua fé não desfaleça; tu, pois, quando te converteres, fortalece os teus irmãos. Ele, porém, respondeu: Senhor, estou pronto a ir contigo, tanto para a prisão como para a morte. Mas Jesus lhe disse: Afirmo-te, Pedro, que, hoje, três vezes negarás que me conheces, antes que o galo cante. (Lucas 22. 31-34 RA – Glow)

O texto mostra que Pedro ainda não estava convertido como deveria, mesmo tendo experimentado, vivenciando o sobrenatural ao lado de Jesus.   Obviamente, por ter tido tais experiências ele pensou estar pronto a servir como muitos em nossos dias, mas veja o Jesus lhe disse:

Hoje, três vezes negarás que me conheces.

O comprometimento de Pedro não estava baseado no que deveria estar, mesmo tendo errado a tal ponto, Jesus atenta para Pedro no intuito de restaurá-lo, diante do forte choque vivido por ele, chamado-o a um compromisso.

Os evangelhos mostram que Jesus estava comprometido com seu Pai, Ele mesmo deixa isto muito claro.

Jesus disse-lhes: A minha comida é fazer a vontade daquele que me enviou e realizar a sua obra. (João 4. 34 RA Glow)

Convém que eu faça as obras daquele que me enviou, enquanto é dia; a noite vem, quando ninguém pode trabalhar. (João 9. 4 RA Glow)

Jesus falou essas coisas e, levantando os olhos ao céu, disse: Pai, é chegada a hora; glorifica a teu Filho, para que também o teu Filho te glorifique a ti, assim como lhe deste poder sobre toda carne, para que dê a vida eterna a todos quantos lhe deste. E a vida eterna é esta: que conheçam a ti só por único Deus verdadeiro e a Jesus Cristo, a quem enviaste. Eu glorifiquei-te na terra, tendo consumado a obra que me deste a fazer.( João 17. 1-4 RA Glow)

Deus estava comprometido com a humanidade e por isto:

Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. Porque Deus enviou o seu Filho ao mundo não para que condenasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele. Quem crê nele não é condenado; mas quem não crê já está condenado, porquanto não crê no nome do unigênito Filho de Deus. (João 3. 16-18 RA Ilumina Gold 2009)

A tarefa de Jesus era fazer a vontade do Pai, o preço sua própria vida, e foi o que Ele fez, sendo Filho deu sua vida para mostrar o amor de Deus à humanidade, isto exigiu um alto grau de comprometimento com seu Pai.

E, indo um pouco adiante, prostrou-se sobre o seu rosto, orando e dizendo: Meu Pai, se é possível, passa de mim este cálice; todavia, não seja como eu quero, mas como tu queres.   E, indo segunda vez, orou, dizendo: Meu Pai, se este cálice não pode passar de mim sem eu o beber, faça-se a tua vontade. (Mateus 26. 39; 42 RA Ilumina Gold 2009)

Jesus chamou Pedro a um compromisso mostrando a ele que a base de sua vida cristã deveria ser o amor.   Independente dos acontecimentos, das situações que vivenciarmos, devemos manter o nosso compromisso com Deus e isto significa permitir que Ele faça o que quiser, como quiser, segundo sua vontade, cabendo a nós apenas executar o seu querer.

Querido leitor, amado irmão, independente do grau de exigência, precisamos estar dispostos a dizer: Meu Pai se é possível, passa de mim este cálice; todavia, não seja como eu quero, mas como tu queres.

Meu Pai, se este cálice não pode passar de mim sem eu o beber, faça-se a tua vontade.

O Espírito Santo nos convida a responder.

Amas-me tu, mais do que estes outros?    Tu me amas?

Tu me amas?

Esta é a hora, comprometa-se com Deus.

Aceite a Jesus Cristo como Senhor da tua vida.

Mensagem pregada em 07/09/2013

Campanha do Circulo de Oração. São Leopoldo – RS

Fé: Conhecer para Aplicar.

 PARTE I – O QUE TEMOS É, OU NÃO É FÉ.

images (21)

De sorte que a fé é pelo ouvir, e o ouvir pela palavra de Deus; Tornai-vos, pois, praticantes da palavra e não somente ouvintes, enganando-vos a vós mesmos.

Mas aquele que considera, atentamente, na lei perfeita, lei da liberdade, e nela persevera, não sendo ouvinte negligente, mas operoso praticante, esse será bem-aventurado no que realizar. (Romanos 10.17 Tiago 1. 22,25 RA Ilumina Gold 2009)

Por meio do tema aqui proposto, gostaria de convida-lo a lembrar-se de versículos e passagens bíblicas que nos ajudarão a conhecer e compreender nossa fé, tendo como objetivo sua aplicação em nossa caminhada, nossa vida cristã.

Muitas vezes procuramos compreender o porquê temos fé para conquistar coisas materiais, mas não a temos para cura de uma enfermidade.

Temos fé para cura de uma dor de cabeça e não cremos que uma dor de dente vai passar se não consultarmos o médico.

Damos glória Deus quando fizemos um simples machucado em um dedo, mas se perdermos um dedo, dificilmente agiremos da mesma forma.

Cremos na conversão de uma pessoa quando ela começa sua caminhada na Igreja, mas quando se trata de um parente que não nos dá ouvido, sequer lembramos de orar por sua salvação.

Cremos que Jesus nos salvou da perdição eterna, no entanto quando o assunto é a cura de um câncer, a libertação do “crak”, parece que nossa fé se esvai.

Muitas atitudes e sentimentos se parecem com fé, quando na verdade não são, este é o motivo pelo qual esperamos alcançar algo que nunca acontece, espera, que nos leva a um estado de decepção, nos entristecemos e acabamos por culpar Deus, desistindo da caminhada de fé.

Com base nestas verdades, creio que o Espírito Santo me impulsionou a escrever sobre: “Fé, Conhecer Para Aplicar”, no intuito de que você, querido leitor possa pela fé ter uma vida cheia do Espírito Santo, experimentando a vontade de Deus em sua própria vida.

Porque nossa fé se torna tão distante, quando aos olhos humanos a questão parece difícil.

Neste aspecto faremos algumas comparações, para no final analisarmos: o que temos é, ou não é, fé.

Continua…

EIS QUE ENVIO SOBRE VÓS A PROMESSA DE MEU PAI…

This entry is part 7 of 9 in the series Mensagem I

images (29)

O maior presente que a humanidade recebeu de Deus foi Jesus, ele é o evangelho, a boa nova a ser anunciada a todos os homens.

Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. Porquanto Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que julgasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele. (João 3. 16-17 RA – Ilumina Gold).

A tarefa de Jesus foi caracterizada por três formas diferentes de mostrar ao homem a vontade de Deus, ele pregava, ensinava e operava milagres. Este processo durou aproximadamente três anos, neste tempo ele escolhe doze homens entre os seus discípulos para na qualidade de Apóstolos serem os primeiros a liderarem a Igreja, a Sua Igreja. Ele sabia que voltaria ao Pai, portanto tinha consciência da necessidade que o ser humano iria ter em realizar aquilo que ele estabeleceu como tarefa para Igreja. Jesus sabia que o ser humano não iria conseguir por suas próprias forças, mesmo os que presenciaram seu exemplo, por mais fé que tivessem, pois chegaria o tempo em que eles teriam que representar o próprio Cristo na qualidade de Igreja.

No livro de Joel a bíblia nos mostra uma promessa feita por Deus ao seu povo, promessa que se estenderia a todo aquele que invocasse o seu nome, isto porque, o cumprimento desta promessa antecederia o grande e terrível dia do Senhor.

E acontecerá, depois, que derramarei o meu Espírito sobre toda a carne; vossos filhos e vossas filhas profetizarão, vossos velhos sonharão, e vossos jovens terão visões; até sobre os servos e sobre as servas derramarei o meu Espírito naqueles dias. Mostrarei prodígios no céu e na terra: sangue, fogo e colunas de fumaça. O sol se converterá em trevas, e a lua, em sangue, antes que venha o grande e terrível Dia do Senhor. E acontecerá que todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo; porque, no monte Sião e em Jerusalém, estarão os que forem salvos, como o Senhor prometeu; e, entre os sobreviventes, aqueles que o Senhor chamar. (Joel 2. 28-32 RA – Ilumina Gold).

Em seu ministério Jesus falou a respeito do Espírito Santo, dizendo que se alguém crer Nele receberia este dom, o que foi bem retratado por João em seu evangelho. Jesus fala do poder sobrenatural que irá ocorrer na vida dos fiéis, indicando que eles experimentariam o dom do Espírito da Verdade de uma forma nunca vista antes. No último dia da Festa dos Tabernáculos Jesus faz publicamente uma declaração surpreendente.

Se alguém tem sede, venha a mim e beba. Quem crer em mim, como diz a Escritura, do seu interior fluirão rios de água viva. Isto ele disse com respeito ao Espírito que haviam de receber os que nele cressem; pois o Espírito até aquele momento não fora dado, porque Jesus não havia sido ainda glorificado. (João 7. 37-39 RA – Ilumina Gold).

A figura do rio de água viva concorda com os dizeres de Jesus em João capitulo quatro, quando ele conversa com uma mulher samaritana.

Afirmou-lhe Jesus: Quem beber desta água tornará a ter sede; aquele, porém, que beber da água que eu lhe der nunca mais terá sede; pelo contrário, a água que eu lhe der será nele uma fonte a jorrar para a vida eterna. Disse-lhe a mulher: Senhor, dá-me dessa água para que eu não mais tenha sede, nem precise vir aqui buscá-la. (João 7. 13-15 RA – Ilumina Gold).

Jesus estava dizendo que chegaria o tempo em que o ser humano teria novamente um relacionamento com Deus; rios de águas vivas, o Espírito Santo habitaria no interior do homem; a fonte. Lembre-se, não existe rio sem fonte. O Espírito de Deus é a fonte, ele produzirá rios de águas vivas na vida do crente, rios a jorrar para uma vida eterna.

Estando ainda em meio a seus discípulos Jesus lhes diz:

E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Consolador, a fim de que esteja para sempre convosco, o Espírito da verdade, que o mundo não pode receber, porque não o vê, nem o conhece; vós o conheceis, porque ele habita convosco e estará em vós. (João 14. 16-17 RA – Ilumina Gold).

Analisados segundo original Grego (Koine) o termo usado por Jesus, “outro consolador” nos dá a ideia do que ele estava falando, e de qual seria a tarefa do Espírito Santo.

Outro = Allos, um de mesma espécie, de mesmo tipo.

Consolador = Parakletos, chamado para estar ao lado; defensor; advogado; tutor; auxiliador.

Os termos “outro consolador” ou “allos parakletos”, quando entendida sua originalidade dará a frase o seguinte sentido. “Eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro de mesma espécie, mesmo tipo que eu, para estar ao seu lado, o Espírito da verdade…”.

Jesus estava orientando seus discípulos a entenderem que Ele precisava completar sua tarefa e voltar ao Pai, no entanto através Dele a promessa se cumpriria, como prelúdio do dia do Senhor.

Após ter se sujeitado a vontade de Deus, indo à morte e morte de cruz para a salvação da humanidade, em razão da obediência a Glória do Pai o ressuscitou dentre os mortos, dando a este Jesus, todo o poder no céu e na terra. Em seus últimos momentos junto aos discípulos, agora ressurreto, Jesus da a sua Igreja um presente.

Disse-lhes, pois, Jesus outra vez: Paz seja convosco! Assim como o Pai me enviou, eu também vos envio. E, havendo dito isto, soprou sobre eles e disse-lhes: Recebei o Espírito Santo. . (João 20. 21-22 RA – Ilumina Gold).

Então, lhes abriu o entendimento para compreenderem as Escrituras; e lhes disse: Assim está escrito que o Cristo havia de padecer e ressuscitar dentre os mortos no terceiro dia e que em seu nome se pregasse arrependimento para remissão de pecados a todas as nações, começando de Jerusalém. Vós sois testemunhas destas coisas. Eis que envio sobre vós a promessa de meu Pai; permanecei, pois, na cidade, até que do alto sejais revestidos de poder. (Lucas 24. 45-49 RA Ilumina-Gold).

Deus deu a humanidade seu Filho; o Filho deu o Espírito Santo a Igreja. (Ev. João 15. 26)

No dia de Pentecostes a promessa se cumpre, e após seu primeiro discurso público, Pedro expõe aos que compreendendo sua palavra queriam saber o que deveriam fazer.

Respondeu-lhes Pedro: Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo para remissão dos vossos pecados, e recebereis o dom do Espírito Santo. Pois para vós outros é a promessa, para vossos filhos e para todos os que ainda estão longe, isto é, para quantos o Senhor, nosso Deus, chamar. (Atos 2. 38-39 RA Ilumina-Gold).

O dom do Espírito Santo não é uma referencia a um poder ou a algo que o Espírito dará ao homem, e sim ao próprio Espírito. Pedro utiliza a palavra “dorean”, que tem sua origem no verbete “dôron”, que significa dom, presente ou oferta, e que neste caso tem sua raiz na palavra “dorea”, ato de dar gratuitamente, um presente grátis. O que Pedro quis dizer foi, ao se arrepender (nascer de novo), e confessar publicamente sua fé (batismo em águas), o próprio Jesus lhes dará gratuitamente o Espírito Santo para que habite em sua vida. O próprio Deus virá habitar no ente de fé por meio de seu Espírito. A mesma palavra “dorean” é utilizada por Pedro em Atos capitulo onze versículo dezessete quando este explica a visão que teve e o que ocorreu na casa de Cornélio.

Pois, se Deus lhes concedeu o mesmo dom que a nós nos outorgou quando cremos no Senhor Jesus, quem era eu para que pudesse resistir a Deus?” (Atos 11. 17 RA Ilumina-Gold).

Jesus dá a todos os que creem no seu nome o Espírito Santo, e este passa a morar dentro do cristão, atuando em toda a sua vida. Por que então vemos tantos crentes perdidos, sem rumo, fracassados, se Jesus habita em sua vida pelo Espírito? O Espírito Santo é o outro Consolador, tudo, eu disse: Tudo o que Jesus fez, o Espírito Santo Faz.

Seja qual for à necessidade que você tenha, o Espírito Santo agirá como se o próprio Jesus estivesse ao seu lado em carne e osso, basta permitir sua manifestação. (Ev. João 16. 13-15)

O Espírito que pairava sobre a face das águas em Gênesis capitulo um, versículo um, não esta sobre nós, mas dentro de nós, ele opera tudo em todos, por isto a necessidade de conhecê-lo segundo o que nos diz a Escritura. Este é o principio pelo qual a Igreja primitiva andava, este é o motivo que lhe fez experimentar o sobrenatural, a intimidade com o Espírito Santo.

Se quisermos entender qual seja a boa, perfeita e agradável vontade de Deus para as nossas vidas, precisamos voltar à compreensão desta verdade, uma vez que:

As coisas que o olho não viu, e o ouvido não ouviu, e não subiram ao coração do homem são as que Deus preparou para os que o amam. Mas Deus no-las revelou pelo seu Espírito; porque o Espírito penetra todas as coisas, ainda as profundezas de Deus. (1Corintios 2. 9-10 RA Ilumina-Gold)

A força da Igreja esta em guardar a Palavra, permitindo a livre ação do Espírito, ele é o verdadeiro Ministro, esta verdade era latente nos primeiros dias da Igreja, vejamos o que Pedro diz a Ananias diante de sua má atitude.

Entretanto, certo homem, chamado Ananias, com sua mulher Safira, vendeu uma propriedade, mas, em acordo com sua mulher, reteve parte do preço e, levando o restante, depositou-o aos pés dos apóstolos. Então, disse Pedro: Ananias, por que encheu Satanás teu coração, para que mentisses ao Espírito Santo, reservando parte do valor do campo? Conservando-o, porventura, não seria teu? E, vendido, não estaria em teu poder? Como, pois, assentaste no coração este desígnio? Não mentiste aos homens, mas a Deus. (Atos 5. 1-4 RA Ilumina-Gold).

Ananias e sua esposa não mentiram a homens, nem a lideres, mentiram ao Espírito Santo, a Deus. A Igreja tinha consciência da presença do Espírito Santo em seu meio, isto era algo real, esta mesma Igreja hoje está cada vez mais subordinada a decisões humanas, a mesa diretora, a convenções etc.

Observando a História da Igreja fica ainda mais nítida esta verdade, pois podemos contemplar homens e mulheres que tiveram seu ministério transformado pelo Espírito Santo quando a entenderam, suas vidas, famílias, cidades, sua nação pode ser impactada pelo poder de Deus, que se manifesta na pessoa do Espírito. Onde estão estes visionários de Deus!

Deus por meio de seu filho nos deu seu Espírito, nada nos será impossível se permitimos que o Espírito governe nossa vida, afinal, Jesus enviou sobre nós a promessa de seu Pai. É para nós, é para você, é para todos quantos nosso Deus chamar.

Quero te incentivar a buscar uma intimidade profunda com o Espírito de Deus, independente da situação em que você se encontra, ou das adversidades que estão diante de ti, o Espírito da Verdade conhece a saída para estas questões, você precisa apenas o deixar falar. A você que ainda não se decidiu por Cristo, este texto mostra-nos uma realidade maravilhosa, no entanto também revela-nos outra verdade. Vivemos no tempo em que Deus por meio de seu Filho tem derramado seu Espírito sobre todo aquele que Nele crê. Isto significa dizer que o grande e terrível dia do Senhor chegará a qualquer momento, e quando ele chegar não haverá tempo para tomada de decisões, por isto decida-se agora, decida-se hoje.

Deus não apenas nos salvou por meio de seu Filho, mas pelo seu Espírito tem estabelecido um relacionamento com o homem, permitido que todos aqueles que creem em Jesus experimentem o caminho a verdade e a vida. Amados! O dom do Espírito Santo vos dará condições de peregrinar nesta terra realizando a vontade do Senhor, você nunca mais será o mesmo a partir do momento em que pelo seu Espírito, Jesus governe sua vida.

Creia! E Jesus enviará sobre ti, a promessa do Pai.

Estamos no inicio do ano, nosso desejo é que sua vida a partir deste ano nunca mais seja a mesma.

Eu profetizo!

Seja impactado pela pessoa maravilhosa do Espírito Santo, pois o dom é para você.