PALAVRA DO PASTOR

This entry is part 4 of 7 in the series Palavra do Pastor - Márcio R Silveira

02 - palavra pastoral Tempos Trabalhosos

Lembre disto: nos últimos dias haverá tempos difíceis.

(2Timóteo 3:1 Bíblia Sagrada)

O início deste capítulo está em conexão com o seu final, porque o mal que é referido no início tem o seu único antídoto na afirmação que é feita no final do capítulo, a saber, somente poderão prevalecer com Deus nos últimos dias trabalhosos de iniquidade, aqueles que têm sido aperfeiçoados espiritualmente pelo ensino das sagradas Escrituras. Somente aqueles que permanecerem na Palavra de Cristo poderão ter suas vidas edificadas sobre a Rocha. Timóteo não deveria estranhar o fato de haver na Igreja pessoas ruins, porque na rede do evangelho vêm tanto peixes bons quanto ruins, como se vê em Mt 22.47, 48. 
Jesus havia alertado os primeiros discípulos quanto ao fato de que se levantariam falsos profetas sedutores na Igreja, e que o Inimigo plantaria o seu joio nela, e nem por isso deveríamos ficar ofendidos com isto, pensando mal da verdadeira Igreja. Sempre há muita escória misturada ao ouro que não foi completamente refinado, e sempre há joio e palha misturados aos grãos de trigo, que estão sendo peneirados.
Então Timóteo deveria estar preparado e armado em seu pensamento quanto às coisas que deveria suportar com paciência e mansidão no seu trabalho de evangelista. Quando as pessoas passam a ter as características apontadas por Paulo no início deste 3º capítulo, pode ser dito que se trata de uma época difícil, porque exigirá Reforma na Igreja. Sendo dias de Reforma, serão dias trabalhosos que exigirão dos ministros muito poder, graça e paciência para a realização do trabalho deles. Eles se espantarão com a facilidade com que as pessoas serão visitadas pelo poder de Deus na Igreja, para logo depois saírem dando um mau testemunho, porque suas vidas não foram reformadas pela verdade. Se eles se opõem à sã doutrina, como poderão ser restaurados e renovados por Deus? Como poderão ser santificados pelo Espírito Santo ainda que ouçam bons sermões que lhes ensine a verdade, caso não se disponham a se consagrarem ao Senhor? De que adiantará ouvirem sermões se não estão dispostos a aplicar a verdade em suas vidas e lares? Então a consequência inevitável será a descrita por Paulo no início deste capítulo, onde se vê não apenas a desordem pessoal, mas inclusive a dos lares. É importante frisar que a expressão “últimos dias”, usada por Paulo se refere a última dispensação que é a do evangelho. São portanto, os dias do evangelho, e evidentemente à medida que o tempo passasse as condições difíceis se agravariam porque Jesus disse que a iniquidade se multiplicaria no tempo do fim. Paulo deixou Timóteo bem inteirado do fato de que até mesmo os dias do evangelho seriam dias trabalhosos e perigosos. Que ele não ficasse portanto na expectativa de que haveria uma época dourada na terra, onde a verdade prevaleceria completamente pela pregação do evangelho, porque isto não ocorrerá a não ser quando da volta do Senhor com grande poder e glória. Não será portanto a Igreja com o trabalho de evangelização, que trará paz e segurança eternas ao mundo, mas o próprio Senhor, pela força do Seu grande poder, quando da Sua segunda vinda.
Isto é muito importante de ser dito porque assim nenhum ministro criará falsas expectativas de que chegará o dia em que pelo seu trabalho, terá paz perfeita na Sua Igreja, e paz perfeita no mundo pelo trabalho de todos os demais ministros do evangelho. Ao contrário, antes que Cristo volte, a tendência é de que as dificuldades se multipliquem, e os ministros devem estar bem conscientizados disto, e não é por acaso que o conteúdo de textos como este desta epístola, seja encontrado como um alerta em várias passagens das Escrituras. O propósito do Espírito Santo ao nos ter revelado estas coisas não é o de gerar pessimismo, mas um posicionamento firme para perseverar no trabalho sabendo contra que tipo de inimigo teremos que lutar. Não é um inimigo do qual poderemos nos livrar definitivamente até que Cristo volte.
É um inimigo contra o qual devemos nos prevenir, de maneira a não perdermos a nossa paciência e mansidão pelo fato de vermos que ele sempre se fará presente na Igreja até que Cristo volte.
A propósito, os próprios pastores devem olhar por si mesmos, como Paulo disse aos presbíteros de Éfeso em At 20.28, isto é, eles devem cuidar e vigiar para não caírem eles próprios da sua firmeza de fé, em face destes dias trabalhosos.

Deus abençoe.

Márcio Reus Silveira.
Pr. Presidente IBCB-SL

DESTRUINDO FORTALEZAS

This entry is part of 3 in the series Anulando Sofismas

ANULANDO SOFISMAS

images (8)

Quem já não ouviu em meio a uma mensagem, a seguinte expressão: “Sem santidade, ninguém verá a Deus”!
Cuidado!!! Esta sentença expressa uma meia verdade.

Segui a paz com todos e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor, atentando, diligentemente, por que ninguém seja faltoso, separando-se da graça de Deus; nem haja alguma raiz de amargura que, brotando, vos perturbe, e, por meio dela, muitos sejam contaminados; nem haja algum impuro ou profano, como foi Esaú, o qual, por um repasto, vendeu o seu direito de primogenitura. (Hebreus 12. 14-16 Bíblia Sagrada – RA)

Palavra de Deus em Hebreus capítulo doze a partir do versículo quatorze não diz que sem santidade ninguém verá o Senhor e sim segui a paz com todos e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor. Temos aqui uma expressão que merece a nossa atenção por se tratar de uma meia declaração constantemente ouvida sobre os altares.
O autor de Hebreus no capítulo onze ressalta a fé, se valendo do exemplo de homens e mulheres para revelar aquilo que, pela fé está ao nosso alcance. No capítulo doze ele fala sobre a perseverança que precisamos ter no exercício de nossa fé, compreendendo que, em muitas situações seremos disciplinados pelo Senhor que busca a produção de um fruto pacífico, trabalhado em meio a sua justiça para que possamos ser participantes da sua santidade.
Todo cristão tem uma carreira proposta por Deus, cuja qual, Jesus é o exemplo, o padrão a ser seguido e por isto necessitamos de correção ao longo da jornada. Infelizmente muitos cristãos saem do propósito de Deus em Cristo Jesus, justamente porque andam com suas mãos decaídas, com seus joelhos trôpegos e por sua fraqueza de fé, tornam-se mancos não resistindo a correção do Senhor para que sejam curados, diz o autor: Por isso, restabelecei as mãos descaídas e os joelhos trôpegos; e fazei caminhos retos para os pés, para que não se extravie o que é manco; antes, seja curado.(Hebreus 12. 12-13 Bíblia Sagrada – RA)

Em nossos dias o maior desafio para as lideranças no âmbito da Igreja diz respeito aos relacionamentos; desafio que confronta a prática diária de santidade exigindo de cada fiel uma vida devocional de submissão e ferrenho combate em busca da paz. É justamente em meio as relações que Deus nos prova, nos corrige, observando se há em nós um exercício de justiça. Portanto, para a grande maioria passa despercebida a necessidade de paz para que possamos alcançar a santidade, sem paz com seu próximo não há santificação.

Os conflitos comportamentais e oposicionistas tem crescido em meio aos filhos de Deus, nos esquecemos do que significa “Solla Escriptura”, para darmos sentido humanista a palavra de Deus, onde todas as partes têm direito a palavra, menos, o Deus da Palavra. A democracia finalmente se instalou na Igreja, a criatura quer ensinar o criador; como resultado disto temos um número crescente de Igrejas (denominações) no Brasil, a final, quem não gosta do que uma denominação pensa e prega, procura uma que seja segundo sua ideologia. Mais do que isto, não gostar das ações de uma liderança; ou porque no último culto alguém me virou o rosto; ou por não concordar com este, com aquele; ou ainda porque não me dão oportunidade, muitos tem se tornado faltosos para com a graça de Deus. Observe o que a insatisfação, a desmotivação, a murmuração provocam em meio a uma congregação: …nem haja alguma raiz de amargura que, brotando, vos perturbe, e, por meio dela, muitos sejam contaminados; nem haja algum impuro ou profano, como foi Esaú, o qual, por um repasto, vendeu o seu direito de primogenitura. (Hebreus 12. 14-16 Bíblia Sagrada – RA)

Os conflitos comportamentais levam a produção da chamada “raiz de amargura”, que por sua vez resulta em murmuração, desmotivação, insatisfação, este é o caminho que tem levado muitos a se perderem como Esaú, que vendeu sua primogenitura por um prato de lentilhas. A santificação só é possível quando buscamos a paz com todos, é isto que o texto registra, sem paz com próximo, que se soma a prática de santidade diária (santificação), ninguém verá o Senhor. Esaú não considerou sua posição assim como muitos crentes e por isto a vendeu, não venda a graça de Deus que está sobre tua vida pelo simples fato de estar em conflito; busque a paz.

Certamente sua cabeça está, mas, mas…

O problema é com sua liderança?
E rogamo-vos, irmãos, que reconheçais os que trabalham entre vós, e que presidem sobre vós no Senhor, e vos admoestam; e que os tenhais em grande estima e amor, por causa da sua obra. Tende paz entre vós. Rogamo-vos também, irmãos, que admoesteis os desordeiros, consoleis os de pouco ânimo, sustenteis os fracos e sejais pacientes para com todos.(1Tessalonicenses 5. 12-14 Bíblia Sagrada-RC)

O problema é com algum irmão(ã)? Veja o que diz o apóstolo Paulo:
Rogo-vos, pois, eu, o preso do Senhor, que andeis como é digno da vocação com que fostes chamados, com toda a humildade e mansidão, com longanimidade, suportando-vos uns aos outros em amor, procurando guardar a unidade do Espírito pelo vínculo da paz… (Efésios 4.1-3 Bíblia Sagrada-RC)

O problema é em meio a Igreja?
Mas a sabedoria que vem do alto é, primeiramente, pura, depois, pacífica, moderada, tratável, cheia de misericórdia e de bons frutos, sem parcialidade e sem hipocrisia. Ora, o fruto da justiça semeia-se na paz, para os que exercitam a paz.(Tiago 3. 17-18 Bíblia Sagrada-RC)

A questão é de sua particularidade?
Porque quem quer amar a vida e ver os dias bons, refreie a sua língua do mal, e os seus lábios não falem engano; aparte-se do mal e faça o bem; busque a paz e siga-a. Porque os olhos do Senhor estão sobre os justos, e os seus ouvidos, atentos às suas orações; mas o rosto do Senhor é contra os que fazem males. E qual é aquele que vos fará mal, se fordes zelosos do bem? (1Pedro 3. 10-13 Bíblia Sagrada-RC)

Lembre-se, sem paz e santidade ninguém verá o Senhor, portanto, busque a Paz!

Porque as armas da nossa milícia não são carnais, e sim poderosas em Deus, para destruir fortalezas, anulando nós sofismas e toda altivez que se levante contra o conhecimento de Deus, e levando cativo todo pensamento à obediência de Cristo, e estando prontos para punir toda desobediência, uma vez completa a vossa submissão. (2Corintios 10. 3-6 NT-Bíblia Sagrada)

ENTREGA TEU DIA AO SENHOR

This entry is part 3 of 7 in the series Palavra do Pastor - Márcio R Silveira

04

Entrega o teu caminho ao Senhor; confia nele, e ele tudo fará. E ele fará sobressair a tua justiça como a luz; e o teu juízo, como o meio-dia. Descansa no Senhor e espera nele; não te indignes por causa daquele que prospera em seu caminho, por causa do homem que executa astutos intentos. (Salmo 37. 5-7 Bíblia Sagrada)

As palavras “entrega” e “descansa”, são de grande importância, pois formam o portal divino que você atravessa em seu caminhar diário com o Senhor. O seu bom pastor tem um propósito e ordem para cada dia de sua vida.

Os teus olhos viram o meu corpo ainda informe, e no teu livro todas estas coisas foram escritas, as quais iam sendo dia a dia formadas, quando nem ainda uma delas havia.(Salmo 139. 16 Bíblia Sagrada)

– Você sabe o que aguarda você no dia de hoje?
– Amanhã?
– Ou semana que vem!?

Para alguns, cada novo dia é uma emocionante aventura na vida; para outros, a ideia de um outro dia ou uma semana inteira de solidão é quase insuportável. Alguns talvez estejam enfrentando uma época de importantes decisões que poderiam mudar o resto de suas vidas, bem, qualquer que seja a sua situação a maneira de começar o seu dia é ordenando-o diante do Senhor.

Não estou querendo dizer que devemos gritar ou ditar ordens para Deus, e sim que devemos colocar o nosso dia diante d’Ele ponto a ponto, pessoas, lugares, eventos, decisões…
Você precisa apresentar-se diante do Senhor a cada dia e dizer; “Jesus, gostaria de falar contigo sobre o dia de hoje”. Fale sobre o que acha que o dia envolverá ou trará, pois sempre há coisas inesperadas que acontecem conosco.

É por isto que aparentemente nunca terminamos tudo o que havíamos planejado. Ás vezes, nada do que planejamos é realizado. Neste caso, nos sentimos frustrados, derrotados, contrariados a final, dias infrutíferos podem ser desanimadores. Descobri, no entanto que com o passar do tempo, os dias “infrutíferos” podem acabar se tornando mais “frutíferos” do que pensávamos no princípio.

É necessário algum tempo para que as sementes cresçam e produzam frutos. É encorajador lembrarmos que Deus nunca é pego de surpresa por coisas “inesperadas”. Ele prometeu, de qualquer maneira que; …todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito. (Rom 8. 28)

Os nossos planos e propósitos podem falhar, mas nunca os do Senhor, se ordenarmos nosso dia diante d’Ele. Amados esperem no Senhor confiem n’Ele e o mais Ele fará.

Um forte abraço, Deus vos abençoe.

  Márcio Silveira

Pr. Presidente IBCB-SL