AQUIETAI-VOS E VEDE… (PARTE 1/4)

This entry is part 1 of 11 in the series Mensagem I

images (29)

Moisés, porém, respondeu ao povo: Não temais; aquietai-vos e vede o livramento do Senhor que, hoje, vos fará; porque os egípcios, que hoje vedes, nunca mais os tornareis a ver. O Senhor pelejará por vós, e vós vos calareis. (Êxodo 14. 13-14 RA Ilumina Gold 2009)

Quatrocentos e quarenta anos de escravidão!   Certamente o povo hebreu perdeu a expectativa de uma vida digna, de um futuro em liberdade; perdeu a esperança uma vez que o barulho do chicote lhes roubava a humanidade, arrancando de seus corações até mesmo a convicção nas promessas feitas pelo seu Deus, o Deus de Abraão, de Isaque e de Jacó seu pai.   Diante da aflição restou-lhes apenas o clamor.

Disse ainda o Senhor: Certamente, vi a aflição do meu povo, que está no Egito, e ouvi o seu clamor por causa dos seus exatores. Conheço-lhe o sofrimento… (Êxodo 3. 7 RA Ilumina Gold 2009)

A história bíblica mostra que Deus tirou seu povo do Egito com braço forte, por meio de sinais, prodígios e maravilhas.   As pragas do Egito revelaram o poder de Deus frente aquele império, mostrando aos hebreus que sua vontade era dar a eles a liberdade.   O Êxodo nos revela o grande interesse divino em fazer cumprir sua Palavra, sua promessa.   Nenhum obstáculo resistiu ao agir do Senhor, uma vez que Moisés como mensageiro do grande “EU SOU, O QUE SOU” obedecia às ordens divinas com rigor diante de faraó e do povo hebreu.

Surpreendente é nos depararmos com a maior dificuldade enfrentada pelo Senhor na tarefa de conduzir seu povo à terra prometida.   A escravidão lapidou de forma tão profunda a carnalidade no caráter do povo hebreu que sua falta de fé os tornava inquietos levando-os a cometer o que considero o pior de todos os pecados: a murmuração

A dificuldade enfrentada pelo Senhor diz respeito à dureza do coração de seu próprio povo, que insistia em não crer, murmurando contra o próprio Deus.

Murmurar significa produzir murmúrio, sussurrar; lastimar-se, queixar-se em voz baixa, resmungar; segredar.    Compreende-se o murmurador como aquele que diz mal do próximo; que é difamador ou maldizente.   A murmuração consiste em acusação contra a honra e a reputação de alguém, normalmente com a intenção de torná-lo passível de descrédito na opinião pública, sua expressão revela a inquietude e a falta de fé gerada no coração do povo devido aos anos de escravidão.

Em obediência a uma ordem divina o povo se vê diante do mar tendo em sua retaguarda as tropas de faraó que avançam sobre eles, mesmo tendo sido testemunhas do que Deus fez no Egito sua reação é lamentável.

E, chegando Faraó, os filhos de Israel levantaram os olhos, e eis que os egípcios vinham atrás deles, e temeram muito; então, os filhos de Israel clamaram ao Senhor. Disseram a Moisés: Será, por não haver sepulcros no Egito, que nos tiraste de lá, para que morramos neste deserto? Por que nos trataste assim, fazendo-nos sair do Egito? Não é isso o que te dissemos no Egito: deixa-nos, para que sirvamos os egípcios? Pois melhor nos fora servir aos egípcios do que morrermos no deserto.

Acredito que Moisés tomado pelo Espírito de Deus lhes respondeu.

“Não temais; aquietai-vos e vede o livramento do Senhor que, hoje, vos fará; porque os egípcios, que hoje vedes, nunca mais os tornareis a ver. O Senhor pelejará por vós, e vós vos calareis”.

Descobrimos nesta passagem uma sentença última para aqueles que desejam vencer.

SILÊNCIO!

Quesito fundamental para vitória.

Muitas pessoas não alcançam sua vitória porque não conseguem ficar quietas diante de uma situação, não entendem que sua inquietação quando liberada por meio da fala, poderá lhes conduzir a uma falta de fé em Deus, frente à solução de uma determinada questão levando-as a prática da murmuração.

Murmurar conforme a maioria dos textos bíblicos consiste em acusar alguém, normalmente com a intenção de torná-lo passível de descrédito na opinião pública, imagine você, Deus querendo libertá-los e eles, acusando o Senhor diante dos obstáculos que se levantavam.

Vejamos como isto ocorre na prática.

Posto um problema, dá-se inicio a uma evolução verbal.

  Erro – tentamos entender de forma natural o que está acontecendo, buscando um motivo para tal.

  Erro – achar que tudo é um trabalhar de Deus e por isto devemos aceitar.

  Erro – culpar a si mesmo tentando encontrar onde errou para que tal evento tenha legalidade de ocorrer em sua vida, afinal eu sou crente.

  Erro – usar a Palavra de Deus para justificar seus pensamentos e atitudes.

  Erro – culpar os outros.

 Neste ponto, nasce a MURMURAÇÃO.

Perceba que em todos os pontos citados, o ato de falar está envolvido, isto porque a descrição aqui relatada mostra o que pode ser visto externamente, revelando uma inquietude interna do ser humano que irá gerar um pecado terrível: a murmuração.

Podemos comparar tal situação a um Tornado.   Segundo pesquisadores o tornado anda sobre a terra numa velocidade de quarenta quilômetros por hora podendo chegar até sessenta, no entanto os ventos que giram formando seu corpo podem chegar a mais de trezentos quilômetros por hora.   Sendo assim, o tornado anda bem devagar, mas a violência de seus ventos internos destroem tudo a sua volta.

Assim ocorre com as pessoas, enquanto o problema avança bem devagar em suas vidas, no seu interior os ventos provocam destruição, arrancando conceitos e princípios, ferindo seu caráter, gerando com isto uma força motora (pecado) que destrói tudo e todos a sua volta.

Por este motivo Moisés lhes disse aos hebreus: Aquietai-vos!

Para que eles não continuassem a pecar e pudessem mais uma vez contemplar o poder, a misericórdia e o amor de Deus, pois Moisés entendeu que diante do Senhor:

SILÊNCIO!

É UM QUESITO FUNDAMENTAL PARA VITÓRIA.

Continua…

AQUIETAI-VOS E VEDE… (PARTE 2/4)

This entry is part 2 of 11 in the series Mensagem I

images (29)

Orávamos, eu e meus dois companheiros no monte, a noite estava linda, céu estrelado temperatura agradável.   Por volta das três da madrugada o Espírito de Deus falou ao meu espírito.

Aquietai-vos!   Silêncio!

Este é um quesito fundamental quando se tem uma promessa de Deus.

Naquela madrugada recebi do Senhor a mensagem que você está lendo, infelizmente a maioria das pessoas perde a benção, não alcança um objetivo por não conseguir ficar quieto, em silêncio.

Apesar de terem se tornado escravos os hebreus tinham uma promessa de Deus feita a seu patriarca.

Ora, disse o Senhor a Abrão: Sai da tua terra, da tua parentela e da casa de teu pai e vai para a terra que te mostrarei; de ti farei uma grande nação, e te abençoarei, e te engrandecerei o nome. Sê tu uma bênção! (Gênesis 12. 1-2 RA Ilumina Gold)

Novamente está Josué diante da promessa; Canaã a terra prometida, no entanto como antes seu primeiro obstáculo chama-se Jericó.

Ora, Jericó estava rigorosamente fechada por causa dos filhos de Israel; ninguém saía, nem entrava. (Josué 6. 1 RA Ilumina Gold)

Frente a Jericó, Josué recebe uma revelação que consiste em uma estratégia divina para que eles tomassem a cidade.

O Senhor Deus disse a Josué:

– Olhe! Eu estou entregando a você a cidade de Jericó, o seu rei e os seus corajosos soldados. Agora você e os soldados israelitas marcharão em volta da cidade uma vez por dia, durante seis dias. Na frente da arca da aliança, irão sete sacerdotes, cada um levando uma corneta de chifre de carneiro. No sétimo dia você e os seus soldados marcharão sete vezes em volta da cidade, e os sacerdotes tocarão as cornetas. Quando eles derem um toque longo, todo o povo gritará bem alto, e então a muralha da cidade cairá. Aí cada um avançará diretamente para a cidade. (Josué 6. 2-5 RA Ilumina Gold)

Seis dias uma volta por dia; no sétimo sete voltas, o que tudo isto quer dizer.

Ao chegar em casa após aquela noite de oração me debrucei sobre a Escritura na tentativa de compreender melhor tal questão.   A cada leitura que fazia do texto lembrava-me de mensagens que já havia ouvido sobre a passagem, mas o Espírito Santo me dizia; Não!

Por inspiração divina fui parar no texto onde Moisés diz aquietai-vos e vede o livramento que Deus lhes dará hoje.   Por que Deus libertou os hebreus? Porque havia uma promessa.

A incredulidade do povo manifesta por meio de sua inquietude trazia juízo em vez de misericórdia divina sobre eles.  A bíblia diz que Moisés foi ter com Deus, recebendo do Senhor uma Palavra.

Disse o Senhor a Moisés: Por que clamas a mim? Dize aos filhos de Israel que marchem. E tu, levanta o teu bordão, estende a mão sobre o mar e divide-o, para que os filhos de Israel passem pelo meio do mar em seco. (Êxodo 14. 15-16 RA Ilumina Gold)

Muitos pensam que milagre é mágica e que o nome de Jesus é vara de condão, estão redondamente enganados. Moisés teve que estender seu cajado e certamente ficou com ele estendido por um bom tempo, o texto diz:

Então, Moisés estendeu a mão sobre o mar, e o Senhor, por um forte vento oriental que soprou toda aquela noite, fez retirar-se o mar, que se tornou terra seca, e as águas foram divididas. Os filhos de Israel entraram pelo meio do mar em seco; e as águas lhes foram qual muro à sua direita e à sua esquerda. (Êxodo 14. 21-22 RA Ilumina Gold)

O vento oriental não apenas provocou uma fenda no mar como também levantou grande poeira sobre o arraial fazendo aquele povo se calar.   Imagine você o que acontece quando há vento no deserto, certamente tiveram que se aquietar, este é o provável motivo pelo qual as coisas parecem piores quando você ora a Deus, o vendaval não significa que as coisas saíram do controle e sim que o cajado está estendido, o milagre está acontecendo.   Portanto é hora de marchar, é tempo de marchar.   O vento forçou o povo a se aquietar ao mesmo tempo em que realizava no mundo físico a vontade do Senhor abrindo um caminho onde não existia um.

Moisés declarou aquietai-vos; o que tal fato tem a ver com Josué e a estratégia divina em Jericó! Entre um fato e outro está um povo completamente incrédulo e murmurador, o que isto quer dizer?   Foi então que compreendi, conquistar Canaã significava erradicar a murmuração, a incredulidade, o que iria exigir grande esforço daquele povo uma vez que diante de Jericó sua fé seria provada a final:

Silêncio

É um quesito fundamental para vitória.

Continua…

AQUIETAI-VOS E VEDE… (PARTE 3/4)

This entry is part 3 of 11 in the series Mensagem I

images (29)

Milagres, prodígios e maravilhas fez Deus em benefício de seu povo no Egito, mesmo tendo visto o corpo de seus inimigos na beira da praia o povo hebreu ainda não havia despertado para uma fé pura, constante.   Sua trajetória no deserto revela uma série de atitudes incrédulas que culminam sempre em murmuração.   Sob a liderança de Moisés o povo chega à terra prometida e mais uma vez sua inquietude revela a incredulidade contida em seu coração o que leva Deus a julgá-los e sentenciá-los.

Tornou-lhe o Senhor: Segundo a tua palavra, eu lhe perdoei. Porém, tão certo como eu vivo, e como toda a terra se encherá da glória do Senhor, nenhum dos homens que, tendo visto a minha glória e os prodígios que fiz no Egito e no deserto, todavia, me puseram à prova já dez vezes e não obedeceram à minha voz, nenhum deles verá a terra que, com juramento, prometi a seus pais, sim, nenhum daqueles que me desprezaram a verá.(Numeros 14. 20-23 RA Ilumina Gold 2009)

No deserto, não faltou absolutamente nada para o povo…

Contudo!

Não entraram na terra prometida, não alcançaram a promessa. 

Qual tem sido sua postura frente à promessa?

A estratégia divina para tomar Jericó parece absurda, quando porém contemplamos a historicidade daquele povo percebemos claramente a intenção divina que se revela no versículo dez do capítulo seis do livro de Josué.

Porém ao povo ordenara Josué, dizendo: Não gritareis, nem fareis ouvir a vossa voz, nem sairá palavra alguma da vossa boca, até ao dia em que eu vos diga: gritai! Então, gritareis. (Josué 6.10 RA Ilumina Gold 2009)

A passagem pelo mar vermelho selou a liberdade do povo, mas de que adianta liberdade quando não se tem um lugar para desfrutá-la. Josué havia entendido que o silêncio é a característica física mais contundente em alguém que realmente crê, por isto deu tal ordem.

Moisés declarou aquietai-vos, Josué deu ordem calai-vos, será que nós temos esta condição frente a um obstáculo, nossa fé permite que estejamos em silêncio.

O Espírito de Deus diz:

Silêncio! Aquieta-te.

Durante a trajetória do povo hebreu no deserto seu maior inimigo não foi Satanás, mas a sua incredulidade, sua murmuração.   Foram necessários quarenta anos para consumir os incrédulos, aqueles que viram maravilhas, que conheceram o Senhor, que deveriam ter comemorado uma festa no deserto, mas ao invés disto experimentaram a derrota.

A vitória sobre Jericó não estava apenas na obediência à estratégia divina, eu diria que o ponto nevrálgico da questão era o silêncio.

Aquele povo deve ter ouvido muitas palavras de afronta, talvez tenham jogado objetos em sua direção, sua marcha ao redor da cidade certamente já havia se tornado um espetáculo para os moradores de Jericó que se posicionavam sobre a sua muralha para assistir, de lá, da muralha o povo daquela cidade escarnecia dos hebreus.   Estes por sua vez precisavam manter sua boca fechada não apenas em obediência, mas em demonstração de fé. Acredito que a coisa mais difícil para o ser humano é justamente isto, ficar em silêncio.

Aquela geração passou no teste, uma vez que sua última lição no deserto lhes ensinou não só a crer em Deus, mas a não murmurar diante dos obstáculos.

Gritou, pois, o povo, e os sacerdotes tocaram as trombetas. Tendo ouvido o povo o sonido da trombeta e levantado grande grito, ruíram as muralhas, e o povo subiu à cidade, cada qual em frente de si, e a tomaram. . (Josué 6.20 RA Ilumina Gold 2009)

Amado leitor, precisamos aprender a aquietar nosso corpo, silenciar nossa alma uma vez que o próprio Deus se manifestará a fim de que sua promessa se cumpra.

Confia no Senhor e faze o bem; habita na terra e alimenta-te da verdade. Agrada-te do Senhor, e ele satisfará os desejos do teu coração. Entrega o teu caminho ao Senhor, confia nele, e o mais ele fará. Fará sobressair a tua justiça como a luz e o teu direito, como o sol ao meio-dia. (Salmo 37. 3-6 RA Glow)

Muitas pessoas deixam de ser abençoados em várias áreas de sua vida justamente por isto, falam quando deviam calar, calam quando deviam falar.   Existem sonhos, projetos de vida que precisam ser compartilhados com outras pessoas (amigos, familiares, colegas), entretanto você deve saber a hora certa para isto, nem antes nem depois, mas na hora certa.

Isto porque cada pessoa interpreta as situações da vida de um jeito, nem todos se alegrarão com você, nem todos irão chorar com você, nem todos estarão dispostos a te acompanhar, nem todos irão crer.

A bíblia nos mostra o empenho divino na tarefa de resgatar o ser humano do pecado, que o separou da divindade.

Misericórdia, Justificação, Regeneração, Adoção, Santidade e Amor são expressões divinas em relação ao ser humano.   Na plenitude dos tempos Deus envia seu Filho para que a promessa possa se cumprir onde o próprio Deus dá exemplo de que existem momentos em que precisamos ficar quietos, precisamos calar.   O milagre dos milagres, no qual se originou a Igreja exigia além de um sacrifício o silêncio, a final:

Este é um quesito fundamental para vitória.