DESTRUINDO FORTALEZA

This entry is part 3 of 3 in the series Anulando Sofismas

ANULANDO SOFISMAS

images (8)

Nesta oportunidade vamos analisar uma frase extraída de um texto Bíblico e muito utilizado no dia a dia do cristão, bem como em grande parte das mensagens que tem por objetivo apresentar Jesus o Cristo de Deus.

Conhecereis a verdade, e ela, a verdade vos libertará.

Ao ouvir tal afirmação é impossível não lembrar de uma das declarações mais emblemáticas de Jesus; “Eu sou o caminho, Eu sou a verdade e a vida…” A verdade a que Jesus se refere diz respeito ao conhecimento de sua própria pessoa, Ele está afirmando que ao conhecê-lo seremos livres.

Porque então muitas pessoas se afastam da fé cristã se nela reside a verdade: Jesus.

E porque muitos cristãos têm dificuldade em se desapegar de certos vícios e costumes cotidianos. Por que, num país de maioria cristã impera uma grande massa de práticas pecaminosas se Jesus é a base da fé cristã? Muitas pessoas dizem conhecer Jesus, porque então não estão livres.

A frase a qual estamos a observar revela o resultado de uma atitude, uma ação ou posição deveras adotada por um indivíduo. Quando nos aproximamos do texto observando-o em seu contexto, perceberemos de forma clara sobre o que Jesus está falando, e qual a verdadeira condição para que alguém seja livre. Observe:

Então, disse Jesus aos judeus que haviam crido nele: “Se permanecerdes na minha Palavra, verdadeiramente sereis meus discípulos. E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará.” (Ev. João 8. 31-32 Bíblia Sagrada)

O cenário nos mostra que Jesus está falando a religiosos, ao povo da aliança Mosaica, que tinha seus princípios de fé com base em Abraão e como verdade (revelação) única para suas vidas a Lei por meio da qual julgavam conhecer Deus. Entretanto, a manifestação de Jesus e sua mensagem, revelaram o contrário, pois, diante das práticas pecaminosas e do descumprimento do que fora acordado, o povo demonstrava não ter conhecimento do Deus de Abraão, Isaque e Jacó, ainda que este tenha lhes dado a Lei, para que seu cumprimento possibilitasse entre ambos uma comunhão.

O anúncio do Reino de Deus por parte de Jesus indicava que Deus faria algo novo, e realmente Ele o fez. A nova aliança está baseada na morte expiatória de Jesus onde a revelação não se restringe a um conjunto de normas e sim na observância de suas palavras que expressam a vontade de Deus, não só para o cristão mas também para toda a humanidade, aliada a ação do Espírito Santo que por meio da fé individual passaria a habitar na vida do indivíduo.

Verdades práticas e cotidianas, que devem ser observadas segundo o Logos de Deus, reveladas não por um conjunto de signos linguísticos, mas pela iluminação do Espírito Santo.

Certamente você conhece o Presidente de seu país mesmo que não tenha votado nele. Você sabe quem ele é, o que faz ou deve fazer, como chegou ao lugar de poder em que se encontra etc. Mas, se eu perguntasse a você, qual a cor preferida, ou a comida que mais gosta, ou com que estilo de roupa mais se identifica seu Presidente, você saberia responder.

Você conhece Jesus?

Jesus dizia, pois, aos judeus que criam nele: Se vós permanecerdes na minha palavra, verdadeiramente, sereis meus discípulos… (Ev. João 8. 31 Bíblia Sagrada)

Ter conhecimento significa ter ideia, noção ou informação de alguma coisa; relacionar-se, conviver com alguém; ser perito ou versado numa determinada área; é ao mesmo tempo a condição de discernir, distinguir, reconhecer para com isto ter uma ideia justa, observada segundo a própria capacidade.

Lembro-me de uma época em que os jovens utilizavam um caderno denominado, “Questionário” a fim de conhecer melhor seus novos amigos. Nele, você colocava seus dados e logo após respondia as perguntas feitas pelo dono do caderno, que ao lhe entregar o caderno expressava o desejo de lhe conhecer melhor a fim de inclui-lo em seu círculo de amigos íntimos.

O evangelho nos mostra a vontade de Deus para a humanidade, nele o amor de Deus se revela por meio de Cristo Jesus, nele conhecemos mão só a história mas a pessoa de Jesus. Nele descobrimos a verdade exposta por Jesus que nos convida a permanecer, viver segundo tal verdade para que sejamos seus discípulos. A questão é, permanecer!

Se vós permanecerdes na minha palavra, verdadeiramente, sereis meus discípulos”

Conhecer a verdade é resultado de uma condição; “se vós permanecerdes na minha Palavra”.

Aqueles homens julgavam conhecer Deus por meio de Abrão, portanto, não aceitavam o fato de serem escravos com base no conhecimento que tinham da ação divina entre seu povo.

Eles lhe responderam: “Somos descendentes de Abraão e nunca fomos escravos de ninguém. Como você pode dizer que seremos livres”? Jesus respondeu: “Digo-lhes a verdade: Todo aquele que vive pecando é escravo do pecado”. (Ev. João 8:33-34 Bíblia Sagrada)

Apenas ter conhecimento de Deus não liberta do pecado.

A libertação se dá quando entendemos a condição pecaminosa em que vivemos, reconhecendo a necessidade de encontrarmos o Deus criador, diante da incapacidade de reagirmos ao pecado que opera em nós, ista é a Salvação proposta por Deus em Cristo Jesus. Na caminhada cristã temos muitos indivíduos de fé que não entendem a necessidade permanecer (guardar, praticar, tomar posse para aplicação) nas verdades publicadas por Jesus e por isto não experimentam a libertação.

Se permanecerdes na minha Palavra, verdadeiramente sereis meus discípulos. E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará.”

Conhecer a verdade é resultado de permanecer na Palavra, enquanto que a libertação é o resultado do contato direto e íntimo com a verdade: Jesus.

Não se trata do conhecimento histórico, teológico, racional e sim do conhecimento como resultado de uma vida íntima. Neste contexto é fácil compreendermos porque muitos cristãos vivem entre altos e baixos espirituais; o porque muitos se afastam da fé cristã cheios de tristeza e frustração; é fácil compreender o porque nosso país não sofre uma transformação, a final, conhecemos ou não conhecemos Jesus.

Ser discípulo é permanecer (prática) na Palavra; permanecer na Palavra é conhecer Jesus.

O evangelho é a resposta de Deus aos questionamentos humanos, por meio dele você conhecerá Jesus e Ele, “Jesus” (a Verdade) te libertará no transcorrer prático de uma vida com Deus.

Querido leitor, permaneça na Palavra, conheça Jesus e certamente Ele te libertará.

Porque as armas da nossa milícia não são carnais, e sim poderosas em Deus, para destruir fortalezas, anulando nós sofismas e toda altivez que se levante contra o conhecimento de Deus, e levando cativo todo pensamento à obediência de Cristo, e estando prontos para punir toda desobediência, uma vez completa a vossa submissão. (2Corintios 10. 3-6 NT-Bíblia Sagrada)

SABEDORIA E CONHECIMENTO

This entry is part 4 of 11 in the series Mensagem I

REFLEXÕES

images (20)

Feliz o homem que acha sabedoria, e o homem que adquire conhecimento;

(Provérbios 3. 13 RA)

O ser humano é verdadeiramente interessante:

Tem sabedoria para aconselhar uma pessoa que está com problemas em seu casamento, mas não consegue resolver o seu quando as dificuldades lhe atingem.   Na verdade perde a cabeça e acaba sempre discutindo com seu cônjuge, ainda que tenha conhecimento de que esta desavença é maligna, coisa que o diabo faz para tirar a paz.

Numa pizzaria, mesmo tendo conhecimento de que glutonaria é pecado, comemos além daquilo que nos satisfaz, para depois nos enganarmos dizendo: acho que comi de mais, estou enjoado, não cabe mais nem uma bala.

Sabemos que temos o fruto do Espírito Santo, mas não aplicamos em nosso dia a dia, se alguém nos perturba, logo acabamos nos irritando, nos falta prática.

Entendemos o espiritual e discernimos uma atuação maligna, mas permitimos que os nossos sentimentos dominem as situações.

Conhecer sem praticar é o que define um tolo, pois a inteligência se sobressai na prática; discernir o mundo espiritual e não agir como homem espiritual: é tolice.

O importante não é conhecer muitas coisas, mas viver segundo o que conhecemos.   Ter um grande conhecimento só nos será útil se vivermos conforme aquilo que conhecemos, uma vez que a prática do que conhecemos resultará em sabedoria no nosso viver.

Encontraremos a sabedoria se aplicarmos nossos conhecimentos em nosso dia a dia.

Ajudar o próximo com meu conhecimento e viver quebrando a cabeça para resolver meus próprios problemas, é falta de sabedoria.

Aplique o que você já conhece nas mínimas coisas do seu dia a dia, isto fará diferença em sua vida; isto lhe trará sabedoria ao longo dos anos.

De qualquer forma fica aqui uma dica:

Se, porém, algum de vós necessita de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá liberalmente e nada lhes impropera; e ser-lhe-á concedida. (Tiago 1. 5 RA-Ilumina Gold 2009)

Amém.

A VONTADE DE DEUS

This entry is part 16 of 24 in the series Reflexões I

REFLEXÕES

images (5)

Pois eu desci do céu para fazer a vontade daquele que me enviou e não para fazer a minha própria vontade. (Ev. João 6. 38 RC Ilumina Gold 2009)

Sem dúvida, Jesus é para nós o melhor exemplo no que diz respeito a fazer a vontade de Deus.   Em todo o momento os evangelistas mostram em seu relato que o objetivo de Jesus era fazer a vontade do Pai, o que caracteriza aqueles que se tornaram filhos de Deus.

Observando o contexto da passagem acima citada percebemos três condições necessárias àqueles que desejam realizar a vontade de Deus:

  • Você precisa conhecê-la.

O caminho para conhecermos a vontade de Deus é aprendermos sua Palavra, uma vez que, estar em contato com a Palavra significa estar em contato com o próprio Deus.   Devemos observar seus desígnios, meditar neles, permitindo que a vontade de Deus expressa em sua Palavra seja revelada a nosso espírito.

  • Você precisa dispor-se em obedecê-la.

De todas as definições possíveis para a palavra obediência a que se encaixa melhor ao que estamos falando é “submissão”, pois denota fazer a vontade de outro neste caso, Deus.   Na verdade obedecer implica em agir contrario a sua própria vontade uma vez que sua ação/reação deverá ser segundo a vontade diretiva de outrem, sendo assim.

  • Você precisa ser sensível à ação do Espírito Santo.

O Espírito Santo não obriga as pessoas a fazerem nada, ao contrário Ele convence de forma sobrenatural por meio da consciência humana, no entanto quando uma pessoa compreende a vontade de Deus em um determinado assunto, deve decidir por si só o que fazer.   Muitos conhecem a vontade de Deus, mas relutam em obedecer não se submetendo a ação do Espírito Santo que os guiará a solução das questões ultimas em sua vida.   Você precisa ouvir o Espírito de Deus; ser sensível a sua voz, a sua instrução; permitir que Ele guie você em todas as áreas da sua vida, desta forma a vontade de Deus será estabelecida em sua vida.

Parece tão simples fazer a vontade de Deus, no entanto há um alto grau de comprometimento, de dedicação exigidos uma vez que é necessário trazer para a prática diária a mortificação da carne, a fim de que em espírito possamos desenvolver a vontade Senhor.

E não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus. (Romanos 12. 2 RC Ilumina Gold 2009)

“Tornai-vos, pois, praticantes da palavra e não somente ouvintes”.

ΑΩ