ESPERANÇA

This entry is part 3 of 4 in the series Mensagens II

EM MEIO A ADVERSIDADE II

images (2)

Se eu apenas lhe tocar as vestes…

Continuamos a observar as escrituras e no capitulo 5 e versículos 25 a 34, Marcos descreve em seu evangelho a vida de uma mulher que doze anos vinha sofrendo de uma hemorragia, padecendo na mão de vários médicos, tendo despendido tudo quanto possuía, contudo, sem nada aproveitar, antes, pelo contrario, indo a pior.

Espalhava com liberalidade seus recursos, ou seja, estava consumindo seu dinheiro e sendo consumida pela enfermidade, sem conseguir resolver nada, até que a fama de Jesus chega aos seus ouvidos. Aleluia! Aleluia!

A esperança (sentimento de quem vê como possível àquilo que deseja) surge em meio aos problemas, separada da comunidade de Israel, vinha sentindo em sua vida dor física, moral e espiritual, seu modo de viver, seus hábitos, suas atividades, tudo estava comprometido com o fracasso.   Entretanto dependia dela analisar o que tinha ouvido sobre Jesus, seu conceito poderia ser bom ou mal.

Ela avalia bem a fama de Jesus e a confiança resultante da Palavra da Verdade da origem a um objetivo: ser curada.   Agora, em seu coração três sentimentos movem sua vida, Esperança, Fé e Vontade, pois está escrito: Logo a fé é pelo ouvir, e ouvir pela palavra de Cristo. (Romanos 10.17)  A sua alma e seu espírito são tocados pela Palavra, que por meio de seu intelecto, emoções, desejos e consciência, desencadeiam no seu corpo uma atitude de fé, a qual chamamos de ponto de decisão o que lhe deu a convicção expressa em sua própria palavra, pois disse: Se eu apenas lhe tocar as vestes, ficarei curada. (Marcos 5.28)  Aleluia!

Evangelho de Lucas capitulo 8 e versículo 44, enfatiza o toque na orla da veste, pois o povo de Israel levava em sua veste um lembrete visível de sua profissão religiosa, na franja existente nas vestimentas, havia o chamado tistsi (cordão azul), aludindo aos 613 mandamentos da Torá. Tocar na orla era como se ela estivesse tocando na Palavra, pois trazia à lembrança daquele povo as instruções Divinas para que sua vida fosse próspera em Deus.   A ação daquela mulher mostrou aquele povo que mesmo que tudo e todos a rotulassem ao fracasso, pensando que ela estava condenada; existia ali alguém que poderia resolver seus problemas, e resolveu, ela foi curada, pois não há limites para a fé.

Este alguém, era Jesus o Filho unigênito de Deus. Aleluia!

Muitas pessoas estão assim, com sua vida comprometida ao fracasso, problemas no lar, no casamento, com os filhos, sem saúde…   Dificuldades financeiras, investindo tudo o que tem sem, contudo nada aproveitar, sem resposta positiva.  Está mulher, depositou sua esperança em Jesus, mediante sua fama creu que Ele podia resolver seu problema, seu conceito sobre Ele estava certo, este mesmo Jesus está presente hoje para nos revelar ainda mais o amor de Deus que excede todo o entendimento humano.

Jesus está pronto a fazer por mim e por você o mesmo que fez por está mulher, tenha esperança, fé e vontade, aja com determinação mesmo em meio a adversidade pois está escrito:

Porque há esperança para a árvore, que, se for cortada, ainda se renovará, e não cessarão os seus renovos. Se envelhecer na terra a sua raiz, e morrer o seu tronco no pó, ao cheiro das águas, brotará e dará ramos como a planta. (Jó 14. 7-9 RC-Ilumina Gold 2009)

        Em que área tem padecido sua vida!

                      Você consegue ver como possível àquilo que deseja.

                                                  Como está tua esperança em meio às adversidades?

Creia em JESUS, pois ele pode, Ele quer te ajudar.

VÓS ORAREIS ASSIM (2/11)

This entry is part 2 of 11 in the series ORAÇÃO

images (48)

Pai nosso, que estás nos céus…

A ideia de “Pai nosso” traz em si uma demonstração de intimidade com o Deus (criador) que é Pai da humanidade, ao mesmo tempo em que revela a existência de uma distância, “que estás no céu”…

Percebemos aqui a existência de fé nas palavras de Jesus, Ele cria na paternidade divina bem como no fato de que mesmo estando no céu (lugar no qual o ser humano não pode chegar) havia sim a possibilidade humana de um relacionamento intimo com Deus.   Esta é na verdade a maior expressão de sua obra: devolver ao ser humano a condição de estar face a face com Deus.

Tendo, pois, irmãos, ousadia para entrar no Santuário, pelo sangue de Jesus, pelo novo e vivo caminho que ele nos consagrou, pelo véu, isto é, pela sua carne, e tendo um grande sacerdote sobre a casa de Deus, cheguemo-nos com verdadeiro coração, em inteira certeza de fé (Hebreus 10. 19-22a RC Ilumina Gola 2009)

Jesus, o sumo sacerdote sobre toda a casa de Deus, abriu um caminho por meio de sua morte para que todo aquele que crer no seu nome possa chegar com ousadia diante de Deus.   A ousadia aqui descrita não tem a ver com audácia, afoitamento ou atrevimento, mas com fé.   Uma das condições que a fé proporciona ao ser humano é a coragem.   Precisamos chegar diante de Deus com coração verdadeiro, com coragem, certeza de fé.

Coragem para que?   Certeza de que?

Certeza de que estamos na presença de Deus, coragem para expormos nossa vida com sinceridade e singeleza de coração, literalmente nos despojarmos de tudo em sua presença.

Muitas pessoas creem em Deus, mas não creem ser possível estar literalmente em sua presença aí está à necessidade de fé.  O texto é bem claro, por meio da fé em Cristo Jesus podemos entrar no santuário, na presença de Deus.

Qual a diferença!   A diferença está na fé salvífica.

A fé natural, a fé que é possível a qualquer ser humano pode sim fazer coisas grandiosas (obras), no entanto não pode levá-lo a presença de Deus.   Somente a fé salvífica pode levar o ser humano à presença de Deus, este é o motivo pelo qual temos na história humana, “agora mesmo”, neste exato momento, pessoas superando limites, escrevendo histórias que ficarão registradas em âmbito humano. Entretanto a Palavra de Deus diz:

Aquele que crê no Filho tem a vida eterna, mas aquele que não crê no Filho não verá a vida, mas a ira de Deus sobre ele permanece. (Ev. João 3. 36 RC Ilumina Gold 2009)

Por este motivo não devemos nos envergonhar do evangelho (boa nova) e sim crer a fim de que tenhamos uma vida de fé.

Porque não me envergonho do evangelho de Cristo, pois é o poder de Deus para salvação de todo aquele que crê, primeiro do judeu e também do grego. Porque nele se descobre a justiça de Deus de fé em fé, como está escrito: Mas o justo viverá da fé. (Romanos 1. 16-17 RC Ilumina Gold 2009)

Esta é a fé que nos dá condição de orarmos, de entrarmos na presença de Deus com ousadia sabendo que o Senhor ouve nossas orações, entendendo que Deus se faz presente no local onde oramos.   A fé é o primeiro elemento necessário na vida daqueles que desejam experimentar ter um relacionamento intimo com Deus.

Quando orarmos, crendo que realmente Deus, Jesus está ali ouvindo nossa oração, receberemos do Espírito Santo as diretrizes para enfrentarmos toda e qualquer situação bem como a força necessária para resistirmos a qualquer força que tente nos sobrepujar.

O resultado de nossa vida de intimidade com Deus irá desencadear a ação do Espírito Santo, não só em favor de nossa própria vida, mas na vida de todos os que estiverem em nossa volta.   Isto significa experimentar o sobrenatural.

A base de nossa vida deve estar na intimidade com Deus, e ele por meio de seu Espírito nos levará a realizar obras que beneficiem não só o povo de Deus, mas a humanidade no sentido de que estes vislumbrem a salvação proposta por meio de Jesus.

As dificuldades da vida e o cotidiano cada vez mais corrido fazem com que muitos esmoreçam na fé, parece que não há um caminho para chegarmos a Deus diante dos dilemas enfrentados no dia a dia, Ele parece cada vez mais distante.

Reaja conforme a Palavra, este é o momento de você voltar-se ao que diz a escritura.

 Fé!   Você precisa ter fé, e em hipótese alguma vacile, recue, abra mão de sua fé segundo o que diz a palavra de Deus: Porque ainda um poucochinho de tempo, e o que há de vir virá e não tardará. Mas o justo viverá da fé; e, se ele recuar, a minha alma não tem prazer nele. Nós, porém, não somos daqueles que se retiram para a perdição, mas daqueles que crêem para a conservação da alma. (Hebreus 37-39 RC Ilumina Gold 2009)

Minha situação é difícil, impossível, pois bem ore a Deus com fé, diante dEle:

“chegue, pois, com confiança ao trono da graça, para que possamos alcançar misericórdia e achar graça, a fim de sermos ajudados em tempo oportuno”. (Hebreus 4. 16 RC Ilumina Gold 2009)

“Tenho passado dias e até semanas prostrado ao chão, orando, silenciosamente ou em voz alta”.

George Whitefield (1714-1770)

TIRE AS ATADURAS (4/4)

This entry is part 4 of 4 in the series Tire as Ataduras

images (29)

As lágrimas de Jesus provocam compreensão por parte de uns, aversão por parte de outros, no entanto é a sua ordem que surpreende a todos.

 Então, ordenou Jesus: Tirai a pedra.

(Ev. João 11. 39a RA).

Por mais fé que Marta e Maria possuíssem as palavras de Jesus exigiram delas uma postura frente a todos os que estavam presentes.   Cremos ou não cremos na Palavra de Jesus.

Marta, irmã do defunto, disse-lhe: Senhor, já cheira mal, porque é já de quatro dias. (Ev. João 11. 39b RA).

A declaração de Marta ressalta que era preciso algo extraordinariamente extraordinário, ela nos remete ao fato de que além de estar morto o corpo de Lázaro já estava em estado avançado de decomposição.

Disse-lhe Jesus: Não te hei dito que, se creres, verás a glória de Deus? (Ev. João 11. 40 RA).

Que tipo de fé você tem?   A ocasião exigia atitude como demonstração de fé.   Temos neste ponto uma linda mensagem para a Igreja.   Marta e Maria criam nas palavras de Jesus, mas será que elas poderiam ter retirado àquela pedra sozinhas?   Certamente, não!

Não estamos falando de algo imaginário ou espiritual e sim de uma pedra real, física, que fechava aquele sepulcro.   Vemos com isto que por mais fé que alguém possa ter, existem momentos, circunstâncias onde é necessário ajuda, para isto existe o corpo eclesiástico no ceio da Igreja.   Sua finalidade é dar suporte aos mais fracos, fortalecer aqueles que devido a uma calamidade da vida precisam atravessar o vale da sombra e da morte; estender o cajado para que o povo possa passar em meio ao mar das adversidades; profetizar sobre os ossos para que estes obedeçam a Palavra do Senhor, colaborar com o Espírito Santo a fim de que a vitória seja do povo de Deus.

 Tiraram, pois, a pedra.

(Ev. João 11. 41 RA).

Marta e Maria Jamais teriam movido àquela pedra sozinhas.

E, tendo dito isso, clamou com grande voz: Lázaro vem para fora. E o defunto saiu, tendo as mãos e os pés ligados com faixas, e o seu rosto, envolto num lenço. (Ev. João 11. 43-44 RA).

Para espanto de todos, do sepulcro surge uma figura envolta em ataduras. Aleluia!

Todo o dia Jesus ressuscita pessoas, isto ocorre sempre que alguém nasce de novo.

O Espírito Santo convence o homem a fim de que este se converta: fé

Para isto é preciso que alguém pregue: tire a pedra

Uma vez que o homem entende sua condição, se arrepende e aceita Jesus como seu Senhor, o milagre acontece.

Mas a todos quantos o receberam deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus: aos que crêem no seu nome, os quais não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do varão, mas de Deus. (Ev. João 1. 12-13 RA).

De imediato torna-se Justificado, Regenerado, Adotado e Santificado diante de Deus, pois o novo nascimento gera uma nova criatura em Cristo Jesus. (2Corintios 5.17)   Entretanto o mundo a sua volta continua o mesmo, sua família, seu trabalho, seus relacionamentos, sua cultura, as questões últimas do seu ser continuam ali.

Ataduras que precisam ser retiradas.

O mesmo ocorre quando cristãos passam por situações traumáticas em suas vidas, não ocorrendo aquilo que se espera de Deus, a dor e o sofrimento podem gerar sentimentos, ataduras que deixarão sua fé  embaraçada, ligando-o a princípios do mundo na tentativa de encontrar explicação para os fatos que se desenrolam.

A ferramenta que nos ajuda a retirar as ataduras, nos desembaraça possibilitando que possamos nos desligar das emoções é a santificação.   É preciso entender que a santificação, mesmo implícita na vida do cristão, é gradativa, pois exige a prática dos ensinamentos de Jesus a fim de que sua Palavra condicione nossa fé segundo o que cada situação exige.

Para que o novo convertido tire tais ataduras torna-se necessário a prática da santificação em toda sua maneira de viver; já na vida de um individuo com anos de fé, tirar as ataduras significa voltar a um caminho de fé absoluta na Palavra Jesus.   Eis a questão!

Ataduras são produzidas por debilidades em nossa fé, que nos levam a emoções avessas a Deus, a sua Palavra, a seu Filho, seu Espírito.   Entretanto tais emoções só poderão se instalar em sua vida se você deixar, ou pelo menos permitir que eles entrem.   Já é hora de você abrir mão dos seus questionamentos, da sua vontade, vença seu intelecto suas emoções e decida-se por uma vida de fé.

Disse-lhe Jesus:  Não te hei dito que, se creres, verás a glória de Deus?

É tempo de desligar-se das emoções negativas, é tempo de tirar as ataduras.

Permita-me fazer uma última observação.   Os judeus que ali estavam não podiam tirar as ataduras de Lázaro, uma vez que sua cultura religiosa não lhes permitia tocar um defunto, bem eles não sabiam o que exatamente estava acontecendo.   Só havia duas pessoas naquele lugar realmente interessadas em tirar aquelas ataduras, Marta e Maria e isto elas poderiam fazer sozinhas.

Você está envolto em ataduras, sua vida está embaraçada, você ainda está ligado a emoções que te impedem de seguir a diante.

Ei!!!  Você é o maior interessado em retirá-las.

Creia em Jesus, vá em frente, pois esta é a ordem dEle para você:

 Então Jesus disse:

Desenrolem as faixas e deixem que ele vá. (NTLH)

Tirem as faixas dele e deixem-no ir (NVI)

Desliguem-no e deixai-o ir. (VL)

Desatai-o e deixai-o ir. (RA)

 

Tire as ataduras; contemple a glória de Deus.