ESPERANÇA

This entry is part 2 of 4 in the series Mensagens II

EM MEIO A ADVERSIDADE III

images (9)

Visão Humana & Visão Divina

A Palavra de Deus em Mc 5.21-43 mostra-nos a história de um pai desesperado, que não se importou com sua posição ao buscar insistentemente a cura para sua filha.   Mesmo sendo Oficial de uma Sinagoga, e trazendo em seus ombros a responsabilidade da manutenção e programação dos cultos ele se prostra diante do Senhor.   Vemos na atitude deste homem o exemplo a ser seguido, pois independentemente da posição que uma pessoa tenha Jesus não despede ninguém vazio.

A história aqui relatada é a de Jairo, que quer dizer “aquele que brilha”, mesmo tendo um horrível problema em sua casa que se levanta para apagar ou ofuscar seu brilho, Jairo, entendeu que só Jesus Cristo de Nazaré, tem a verdadeira solução para a cura de sua filhinha que está à beira da MORTE.   Ele pede que Jesus vá ao seu lar, o recanto mais íntimo de uma pessoa, seu palácio, e imponha a mão sobre sua filha, acreditando em sua Deidade.   Mas quando ambos estão quase chegando ao destino, ou seja, seu lar, alguns da sua casa encontrando-o pelo caminho, traziam-lhe uma notícia: Tua filha está morta, porque enfadas o mestre?

Essas pessoas não tinham o conceito verdadeiro acerca da Pessoa do Senhor Jesus, mostrando que sua Fé não era verdadeira, e por que não creram, para eles não havia “Esperança em meio às adversidades”. Observamos que essa pergunta traz ao coração de Jairo uma prova, renunciar seu status diante da enfermidade que atingiu sua filha; “Ele negaria ou não o Senhor e a sua Orientação diante Deus e dos homens”.

Quantas vezes uma palavra, um gesto, uma atitude, nos faz trilhar o caminho errado, caminho que nos cega de tal maneira que pensamos realmente estar certos.    Agimos e levamos outros a agir de forma incrédula, sem fé em Deus.   Não perdoamos o esposo, a esposa, os filhos; machucamos as pessoas em nossa volta e somos machucados por aqueles que não creem, a final Jesus não é o seu Mestre, se fosse não agiriam dessa maneira.   Mas junto de Jairo estava aquele que podia dar resposta a suas expectativas diante do ocorrido, em meio a este turbilhão de sentimentos Jesus diz:

Não tema, crê somente, na verdade Jesus estava dizendo, “não tema Jairo, continue crendo, eu estou acima das circunstâncias que cercam a tua vida, EU SOU O CAMINHO, EU SOU A VERDADE, EU SOU A VIDA”.

O Trajeto para sua casa era Jesus, a Verdade em meio aquela circunstância era Jesus, e a Vida da sua filha era Jesus. Aleluia, Aleluia!

Entrando em sua casa encontram um alvoroço e os que choravam.

visão humana traz após si confusão, incredulidade, riso, deboche, inconstância, perturbação, enfim a conscientização humana traz desesperança!

Entretanto, a visão Divina traz consolo, paz, esperança, fé, uma experiência do Amor e do Poder de Deus para a vida de qualquer pessoa que o busque na face da terra. Aleluia!

Embora tudo pareça estar acabado, perdido, mesmo as pessoas a sua volta desacreditando e lançando setas perturbadoras em seu coração, creia, pois ao entrar no quarto da menina com os pais e três discípulos, Jesus pega sua mão e lhe diz:

Talitá cumi! Que quer dizer, Menina eu te mando, levantate, e imediatemente se levantou e pôs-se a andar. (Ev. Marcos 5.41-42)

O Milagre chegou e Jairo através de sua Fé, Vontade e Esperança, tendo o conceito certo da Pessoa e Deidade do Senhor Jesus, ele obteve a vitória e contagiou a muitos.

Vale a pena renunciar nossos valores em prol da solução Divina; vale a pena buscar, se prostrar e insistentemente suplicar o favor do Mestre!

O que tem ofuscado sua vida?

Qual visão tem te cercado, a humana ou a Divina?

Que orientação você seguirá, a Humana ou a Divina?

Lembre-se: A visão e a orientação humana só podem denominar uma situação, mas a visão e a orientação Divina criam soluções para seus problemas.

Jesus se importa com você, Ele quer te ajudar.

 “Pare de Temer, Continue Crendo, pois há esperança em meio à adversidade”.

TIRE AS ATADURAS (2/4)

This entry is part 2 of 4 in the series Tire as Ataduras

images (29)

Então, Jesus disse-lhes claramente: Lázaro está morto…

(Ev. João 11. 14 RC Ilumina Gold 2009)

O texto nos permite afirmar que Jesus soube exatamente o momento em que Lázaro morreu, e por saber que poderia ressuscitá-lo ele diz: “e folgo, por amor de vós, de que eu lá não estivesse, para que acrediteis”. (Ev. João 11. 15a RC)  Interessante! Ele se refere a Lázaro como se este estivesse vivo; mas vamos ter com ele”, antecipando aos apóstolos sua ação diante do ocorrido, o que segundo Ele resultaria no aumento da fé daqueles que iriam presenciar tal feito. (Ev. João 11. 15b RC)

É fato!   A vontade de Deus é ir de encontro à necessidade de todos aqueles que creem no seu Filho, a vontade de Jesus é curar, transformar, libertar, fazer novo…

Não é porque você não está vendo algo que Jesus não está ai, com você.   Lembre-se o evangelho não é emoção e sim o poder de Deus para salvação de todo aquele que crê,… Porque nele se descobre a justiça de Deus de fé em fé, como está escrito: Mas o justo viverá da fé”. (Romanos 1. 16b-17 RC)

Chegando, pois, Jesus, achou que já havia quatro dias que estava na sepultura. (Ev. João 11. 17 RC)

Quando Jesus chega a Betânia, Maria e sua irmã Marta se encontram em casa juntamente com os judeus que ali estavam para consolá-las, pranteando o luto.   Era comum que os amigos do falecido permanecessem em sua casa por pelo menos uma semana.

Ouvindo, pois, Marta que Jesus vinha, saiu-lhe ao encontro; Maria, porém, ficou assentada em casa. (Ev. João 11. 20 RC)

Este é o resultado do drama vivido por aquelas irmãs, Marta sai ao encontro de Jesus enquanto Maria permanece em casa, sentada.

Disse, pois, Marta a Jesus: Senhor, se tu estivesses aqui, meu irmão não teria morrido. Mas também, agora, sei que tudo quanto pedires a Deus, Deus to concederá. Disse-lhe Jesus: Teu irmão há de ressuscitar. Disse-lhe Marta: Eu sei que há de ressuscitar na ressurreição do último Dia. (Ev. João 11. 21-24 RC)

Observando a resposta de Marta é possível afirmar que ela tinha fé, pois acreditava que tudo o que Jesus pedisse a Deus, este o concederia.   Entretanto ela não compreendeu a resposta de Jesus a sua exclamação, o que ela ouviu (interpretou) foi que seu irmão iria ressurgir no último dia, pois esta era a crença da grande maioria dos judeus naquele período, uma influência doutrinária dos fariseus.

É impossível ao ser humano não ter fé, uma vez que a fé está implícita no espírito humano, Marta tinha fé, no entanto lhe faltava entendimento.   Infelizmente muitos crentes estão nesta posição, por este motivo se tornou raro presenciarmos um milagre de Jesus em nossos tempos.

Esta é mais uma consequência das ataduras impostas por situações da vida que roubam a fé genuína, a fé segundo o que está escrito, a fé em Jesus.

Jesus estava ali, e tudo que Marta queria era a confirmação de que no último dia, na ressurreição dos mortos seu irmão viveria novamente.

Jesus estava ali!   Aquele que tem todo poder no céu e na terra estava ali, mas a fé natural e a religiosidade de Marta a impedia de ver, de crer que Ele podia ressuscitar seu irmão.

Disse-lhe Jesus: Eu sou a ressurreição e a vida; quem crê em mim, ainda que esteja morto, viverá; e todo aquele que vive e crê em mim nunca morrerá. Crês tu isso? Disse-lhe ela: Sim, Senhor, creio que tu és o Cristo, o Filho de Deus, que havia de vir ao mundo. (Ev. João 11. 25-27 RC)

Existem três verdades implícitas nas palavras de Jesus.

  • quem crê em mim, ainda que esteja morto, viverá”, Jesus está falando da fé que deu origem ao cristianismo, a fé salvífica.   Independente de como será nossa vida na terra, das bênçãos que iremos receber, dos milagres que Ele fará em nós ou por meio de nós, o que move a vida de um cristão é saber que um dia Ele voltará, neste dia nosso último inimigo será envergonhado. A trombeta soará, os mortos ressuscitarão incorruptíveis, e nós seremos transformados. Porque é necessário que este corpo corruptível se revista da incorruptibilidade, e que o corpo mortal se revista da imortalidade. E, quando este corpo corruptível se revestir de incorruptibilidade, e o que é mortal se revestir de imortalidade, então, se cumprirá a palavra que está escrita: Tragada foi a morte pela vitória. (1Corintios 15. 52b-54 RC)
  • “…e todo aquele que vive e crê em mim nunca morrerá”. Deus disse a Adão: “porque, no dia em que dela comeres, certamente morrerás”. (Gênesis 2. 17b RC)  Sabemos que Adão comeu o fruto que Deus lhe havia proibido, e o que aconteceu? Ele morreu!   Não fisicamente, mas foi separado de Deus, ou seja, morreu espiritualmente (tornou-se pecaminoso).   O que Jesus está dizendo é que aquele que crer nEle jamais morrerá espiritualmente (será separado de Deus) e por consequência vencerá a morte.
  • Perceba que antes de dizer isto Jesus diz: Eu sou a ressurreição e a vida…   Antes de ensinar Ele diz: Marta “Eu Sou” a ressurreição, tenho poder para ressuscitar Lázaro, “Eu Sou” a vida, o elo de ligação com Deus, “ninguém vem ao Pai senão por mim”.(Ev. João 14. 6b RC) Daí o motivo do ensino, pois a ressurreição diz respeito à promessa de salvação e a vida diz respeito à fé genuína na pessoa de Jesus.

Incrível!   No ápice do luto de Marta, Jesus lhe dá uma aula sobre vida, salvação, fé e milagres.   Mesmo em meio a uma situação de dor e sofrimento Marta ouve as palavras de Jesus, que ultrapassam seu físico, penetram em sua alma, para explodir como uma revelação ao seu espírito; resultado!

Nem o luto pode impedir que Marta experimentasse o milagre dos milagres: a conversão.

Jesus lhe pergunta: crês tu isto?   Observe a resposta de Marta, “sim, Senhor, creio que tu és o Cristo, o Filho de Deus, que havia de vir ao mundo”.  Sua resposta nada tem a ver com a morte de seu irmão e sim com sua própria fé.

E você querido leitor crês isto?

Jesus chegou!  Ele está ai, com você.

Permita que Jesus seja teu Senhor, teu Salvador.

Veja sobre tua vida a glória de Deus.

Continua… 

AQUIETAI-VOS E VEDE… (PARTE 3/4)

This entry is part 3 of 11 in the series Mensagem I

images (29)

Milagres, prodígios e maravilhas fez Deus em benefício de seu povo no Egito, mesmo tendo visto o corpo de seus inimigos na beira da praia o povo hebreu ainda não havia despertado para uma fé pura, constante.   Sua trajetória no deserto revela uma série de atitudes incrédulas que culminam sempre em murmuração.   Sob a liderança de Moisés o povo chega à terra prometida e mais uma vez sua inquietude revela a incredulidade contida em seu coração o que leva Deus a julgá-los e sentenciá-los.

Tornou-lhe o Senhor: Segundo a tua palavra, eu lhe perdoei. Porém, tão certo como eu vivo, e como toda a terra se encherá da glória do Senhor, nenhum dos homens que, tendo visto a minha glória e os prodígios que fiz no Egito e no deserto, todavia, me puseram à prova já dez vezes e não obedeceram à minha voz, nenhum deles verá a terra que, com juramento, prometi a seus pais, sim, nenhum daqueles que me desprezaram a verá.(Numeros 14. 20-23 RA Ilumina Gold 2009)

No deserto, não faltou absolutamente nada para o povo…

Contudo!

Não entraram na terra prometida, não alcançaram a promessa. 

Qual tem sido sua postura frente à promessa?

A estratégia divina para tomar Jericó parece absurda, quando porém contemplamos a historicidade daquele povo percebemos claramente a intenção divina que se revela no versículo dez do capítulo seis do livro de Josué.

Porém ao povo ordenara Josué, dizendo: Não gritareis, nem fareis ouvir a vossa voz, nem sairá palavra alguma da vossa boca, até ao dia em que eu vos diga: gritai! Então, gritareis. (Josué 6.10 RA Ilumina Gold 2009)

A passagem pelo mar vermelho selou a liberdade do povo, mas de que adianta liberdade quando não se tem um lugar para desfrutá-la. Josué havia entendido que o silêncio é a característica física mais contundente em alguém que realmente crê, por isto deu tal ordem.

Moisés declarou aquietai-vos, Josué deu ordem calai-vos, será que nós temos esta condição frente a um obstáculo, nossa fé permite que estejamos em silêncio.

O Espírito de Deus diz:

Silêncio! Aquieta-te.

Durante a trajetória do povo hebreu no deserto seu maior inimigo não foi Satanás, mas a sua incredulidade, sua murmuração.   Foram necessários quarenta anos para consumir os incrédulos, aqueles que viram maravilhas, que conheceram o Senhor, que deveriam ter comemorado uma festa no deserto, mas ao invés disto experimentaram a derrota.

A vitória sobre Jericó não estava apenas na obediência à estratégia divina, eu diria que o ponto nevrálgico da questão era o silêncio.

Aquele povo deve ter ouvido muitas palavras de afronta, talvez tenham jogado objetos em sua direção, sua marcha ao redor da cidade certamente já havia se tornado um espetáculo para os moradores de Jericó que se posicionavam sobre a sua muralha para assistir, de lá, da muralha o povo daquela cidade escarnecia dos hebreus.   Estes por sua vez precisavam manter sua boca fechada não apenas em obediência, mas em demonstração de fé. Acredito que a coisa mais difícil para o ser humano é justamente isto, ficar em silêncio.

Aquela geração passou no teste, uma vez que sua última lição no deserto lhes ensinou não só a crer em Deus, mas a não murmurar diante dos obstáculos.

Gritou, pois, o povo, e os sacerdotes tocaram as trombetas. Tendo ouvido o povo o sonido da trombeta e levantado grande grito, ruíram as muralhas, e o povo subiu à cidade, cada qual em frente de si, e a tomaram. . (Josué 6.20 RA Ilumina Gold 2009)

Amado leitor, precisamos aprender a aquietar nosso corpo, silenciar nossa alma uma vez que o próprio Deus se manifestará a fim de que sua promessa se cumpra.

Confia no Senhor e faze o bem; habita na terra e alimenta-te da verdade. Agrada-te do Senhor, e ele satisfará os desejos do teu coração. Entrega o teu caminho ao Senhor, confia nele, e o mais ele fará. Fará sobressair a tua justiça como a luz e o teu direito, como o sol ao meio-dia. (Salmo 37. 3-6 RA Glow)

Muitas pessoas deixam de ser abençoados em várias áreas de sua vida justamente por isto, falam quando deviam calar, calam quando deviam falar.   Existem sonhos, projetos de vida que precisam ser compartilhados com outras pessoas (amigos, familiares, colegas), entretanto você deve saber a hora certa para isto, nem antes nem depois, mas na hora certa.

Isto porque cada pessoa interpreta as situações da vida de um jeito, nem todos se alegrarão com você, nem todos irão chorar com você, nem todos estarão dispostos a te acompanhar, nem todos irão crer.

A bíblia nos mostra o empenho divino na tarefa de resgatar o ser humano do pecado, que o separou da divindade.

Misericórdia, Justificação, Regeneração, Adoção, Santidade e Amor são expressões divinas em relação ao ser humano.   Na plenitude dos tempos Deus envia seu Filho para que a promessa possa se cumprir onde o próprio Deus dá exemplo de que existem momentos em que precisamos ficar quietos, precisamos calar.   O milagre dos milagres, no qual se originou a Igreja exigia além de um sacrifício o silêncio, a final:

Este é um quesito fundamental para vitória.