REFÚGIO E FORTALEZA

This entry is part 23 of 24 in the series Reflexões I

REFLEXÕES

images (7)

Deus é o nosso refúgio e fortaleza, socorro bem presente na angústia.

(Salmo 46.1 Bíblia Sagrada)

A grande maioria das pessoas se achegam a Igreja em meio a grandes tribulações, lutas, batalhas vivenciadas no seu dia a dia. Muitos cristãos têm vivido dias de luta, de dor, de angustia e tribulação. O Salmo quarenta e seis começa com uma afirmação espantosa: “Deus é o nosso refúgio e fortaleza, socorro bem presente na angústia”.

Mas, qual o sentido da expressão “refugio e fortaleza, socorro presente na angustia”.

A palavra “refúgio” significa abrigo, amparo, proteção, lugar para onde se foge a fim de escapar de um perigo, esconderijo; já a palavra “fortaleza” diz respeito a vigor, robustez, solidez, força moral, lugar fortificado, organizado para a defesa de uma cidade, de uma região.

Por que somos tão atingidos pelos problemas da vida se temos um refúgio, uma fortaleza!?

Porque é preciso ir até este esconderijo, chegar ao lugar fortificado, uma vez que Deus é o nosso… Muitas pessoas não vencem porque não entendem que é preciso uma atitude pessoal de buscar a presença de Deus para que esta Palavra se cumpra em suas vidas.

Você tem que “ir até” a fortaleza que lhe servirá de refúgio.

Por este motivo a frase encerra dizendo: “socorro bem presente na angústia”.

Estamos falando de um momento, do momento da angústia. Quem você tem procurado no momento da angústia? Para quem você têm pedido ajuda? Para onde está olhando?

O termo “bem presente” indica, que está no lugar de que se fala, que está no tempo atual, que permanece, pessoa que comparece a certo lugar, em certo momento.

Em sua Onisciência, Onipresença e Onipotência, Deus contempla sua vida agora mesmo, e por isto pode te socorrer, dando auxílio na hora do aperto, da angústia. Esta é a afirmação do salmista ao iniciar sua escrita, ele conhecia tal verdade, sabia que o Senhor se faz presente em todos os momentos e por isto deixou para nós uma expressão de fé, um princípio a ser vivido, uma verdade que você precisa experimentar.

Deus é o nosso refúgio e fortaleza, socorro bem presente na angústia. Pelo que não temeremos, ainda que a terra se mude, e ainda que os montes se transportem para o meio dos mares. Ainda que as águas rujam e se perturbem, ainda que os montes se abalem pela sua braveza.

Há um rio cujas correntes alegram a cidade de Deus, o santuário das moradas do Altíssimo. Deus está no meio dela; não será abalada; Deus a ajudará ao romper da manhã. As nações se embraveceram; os reinos se moveram; ele levantou a sua voz e a terra se derreteu. O Senhor dos Exércitos está conosco; o Deus de Jacó é o nosso refúgio.

Vinde, contemplai as obras do Senhor; que desolações tem feito na terra! Ele faz cessar as guerras até ao fim da terra; quebra o arco e corta a lança; queima os carros no fogo. Aquietai-vos e sabei que eu sou Deus; serei exaltado entre as nações; serei exaltado sobre a terra. O Senhor dos Exércitos está conosco; o Deus de Jacó é o nosso refúgio.

Salmo 46

JUDÁ: UM ATO DE LOUVOR

This entry is part 4 of 4 in the series Reflexões

REFLEXÕES

images (23)

A Escritura Sagrada em Gênesis capítulo dezenove nos relata a história de Lia, ou Leia como registrado em algumas versões, que por ser desprezada recebeu do Senhor a graça de conceber, engravidar, dar filhos a seu marido o que naquela ocasião era considerado algo muito importante. Entretanto ela teve uma percepção errada do presente que Deus lhe estava dando, da condição que o Senhor a estava colocando.

Em nossos dias muitos cristãos estão, de certa forma, na mesma condição de Lia, pois recebemos o presente que Deus dispôs a toda a humanidade; “Jesus”, para que tivéssemos vida e vida em abundância, porém muitos ainda não compreenderam o propósito e por isto utilizam tal dádiva com displicência.

Concebeu, pois, Lia e deu à luz um filho, a quem chamou Ruben, pois disse: O Senhor atendeu à minha aflição. Por isso, agora me amará meu marido.

(Gênesis 29. 32 – Bíblia Sagrada)

Ruben = Contemple, um filho! No seu entendimento Lia se acha agraciada por Deus uma vez que sua vida era de desprezo por parte de seu marido, tal filho, no entanto, faria esta realidade mudar e seu marido passaria a amá-la. “Contemplem um filho, Deus me deu condição de ter um filho, de estender a semente de meu marido, olhem aqui está!”

Muitos cristãos têm esta atitude em relação a pessoas que ainda estão no mundo, acham-se melhores por terem sido agraciados com o entendimento de que Jesus é o único Senhor e Salvador e por isto usam a fé (o evangelho, o nome de Jesus) em seu benefício próprio para gerar confiança nas pessoas a sua volta visando com isto conquistarem o que desejam para si.

E concebeu outra vez e teve um filho, dizendo: Porquanto o Senhor ouviu que eu era aborrecida, me deu também este; e chamou o seu nome Simeão.

(Gênesis 29. 33 – Bíblia Sagrada)

Simeão = Deus ouve. “O Senhor ouviu que eu era aborrecida”. Isto não te soa familiar!

“Deus está ouvindo irmão, tudo que andam falando sobre mim!”.

É como se Deus tivesse pena e por isto fará algo em relação a uma determinada situação, que neste caso entendemos tratar-se de sua relação com sua irmã, uma vez que o texto afirma, Jacó amava Raquel. Deus não dá nada a ninguém pelo fato de sermos perseguidos, entenda todo cristão é perseguido. Estamos na moda do complexo de inferioridade, do coitadinho, do pobrezinho, e acabamos por nos colocar em uma situação contraria a que Deus nos colocou em Cristo Jesus. Você sabe o que a bíblia diz que você é em Cristo Jesus!

Filho de Deus – Ev. João 1. 12

Geração eleita

Sacerdócio real

Nação santa

Povo adquirido – 1Pedro 2. 9-10

E concebeu outra vez e teve um filho, dizendo: Agora, esta vez se ajuntará meu marido comigo, porque três filhos lhe tenho dado; por isso, chamou o seu nome Levi.

(Gênesis 29. 34 – Bíblia Sagrada)

Levi = Unido, união. O pensamento de Lia ainda era o mesmo, agora, esta vez se ajuntará meu marido comigo. “Agora sim! Deus me deu uma unção poderosa para exercício do meu ministério, agora vão me enxergar”. Muitos desejam ser visto na linha vertical, sua visão ainda está no reconhecimento terreno, seu desejo é ser apreciado por homens, pois entendem que isto é estar no centro da vontade de Deus, é fazer a obra de Deus. Lia continuava querendo apenas chamar a atenção de seu marido, não conseguia entender que Deus a amava e por isto a tornou fecunda. Tudo o que somos em Cristo Jesus, tudo que recebemos, é por que Ele nos amou.

É por que Deus nos ama, Jesus te ama e por isto o Espírito Santo habita em ti, Ele mesmo mostra este amor testificando ao teu espírito que somos filhos de Deus.

De novo concebeu e deu à luz um filho; então, disse: Esta vez louvarei o Senhor.

E por isso lhe chamou Judá; e cessou de dar à luz.

(Gênesis 29. 35 – Bíblia Sagrada)

Judá = Louvor. Por fim, Lia volta-se ao Senhor, elogiando, exaltando, reconhecendo que sua maternidade era um feito de Deus e para o enaltecer, glorificar, aplaudir, ela dá a criança o nome de Louvor: Judá.

Assim deve ser nossa vida, uma vida de louvor e adoração ao Senhor.

O presente que recebemos, “Jesus”; Deus vivendo em nós por meio do seu Espírito; deve ser para sua Glória, porque dEle e por Ele, para Ele devem ser todas as coisas.

A oferta de louvor foi tão bem-aceita por Deus, que da tribo de Judá Deus escolheu um rei segundo seu coração; da tribo de Judá nasceu, como presente ao mundo o Messias, único digno de abrir o livro, pois Ele venceu. Jesus, o leão da tribo de Judá desatará os selos.

Não importa a dificuldade, glorifique a Deus. Mesmo nas situações mais complicadas da vida, apresente-se a Deus, levando consigo tudo de melhor e de pior que a em sua vida, como sacrifício vivo a fim de louvar seu nome.

Contemple sua soberania, seu poder e sua glória. Dê o seu melhor louvor ao Senhor.

SABEDORIA OU TOLICE

This entry is part 7 of 11 in the series Mensagem I

REFLEXÕES

download (3)

QUE PALAVRAS VOCÊ TEM OUVIDO?

A resposta branda desvia o furor, mas a palavra dura suscita a ira. A língua dos sábios adorna a sabedoria, mas a boca dos tolos derrama a estultícia.

Provérbios 15. 1-2

A palavra do sábio acalma o furor, a ira; dando ao ouvinte sabedoria diante das questões ali envolvidas; entretanto a palavra de um tolo produz não só a ira, mas derrama estultícia (qualidade, particularidade, característica daquilo que é estulto; tolo).

Como saber se um conselho provém de sabedoria ou de tolice?

Como identificar uma palavra se não andamos com quem a pronunciou?

A bíblia diz: “Porque a boca fala do que está cheio o coração”. (Mt 12. 34b)

Se o falar de uma pessoa mostra que ela ama a Deus; se suas atitudes demonstram o fruto do Espírito em sua vida; se fala das maravilhas de Deus, do seu amor incomparável, de sua misericórdia; se fala das qualidades do seu próximo, amando, quando todos estão julgando; sua palavra é sábia.

Este te ajudará tornando seu caminho atraente por mais que seja estreito e difícil, pois sua fala demonstra sabedoria.

Entretanto o tolo fala sorrateiramente dos defeitos de seu próximo, não fala do amor de Deus, de sua bondade, mas de sua própria bondade, do quanto ele é bom e faz o bem para os outros.  Ouvimos dos seus lábios palavras que exaltam suas próprias atitudes: eu ajudo, fiz tudo o que pude pelo “fulano”, infelizmente não posso fazer mais nada.

Ou palavras que acusam seu próximo: ele não quer se ajudar, não se esforça, não quer fazer a coisa certa, vai sofrer por isto… Este é o tolo.

Talvez você esteja pensando, mas o que tem de errado em falar desta forma. Se a pessoa não quer se ajudar, realmente não há o que fazer.  “Ok”! Você está certo.

Entretanto sempre há o que fazer, podemos amar, podemos orar.

Tolice é falar dos defeitos, apontar problemas tanto seus como dos outros, não vendo nada de bom, julgando a tudo e a todos sorrateiramente ao invés de orar, jejuar consagrar sua vida ao Senhor.  Juízo não cabe a nós, mas a Deus, pois somente Ele pode fazer um juízo verdadeiro. Estas palavras procedem de um lábio tolo, pois são palavras que derramam sobre muitos corações insensatez, desanimando os que estão na caminhada e por lhes dar ouvidos acabam tornando-se iguais a eles, tolos.

Entretanto o sábio nos aponta Deus, mostrando seu amor manifesto em Jesus e o quanto dependemos dEle.  Para isto nos mostra o caminho do amor, da adoração, do viver em obediência a vontade do Senhor segundo a sua Palavra.

Precisamos identificar tais palavras; saber com que tipo de pessoas estamos andando;  saber que tipo de voz estamos ouvindo, pois as palavras podem nos aproximar como também podem nos afastar de Deus.

Que tipo de palavras você está ouvindo: tolas ou sabias!